SERGIPE

22/02/2021 as 16:15

Com Redetec, governo oferece suporte a pequenas empresas do ramo Têxtil

Ação coordenada pelo ITPS, em parceria com o SergipeTec, já beneficiou diversas empresas sergipanas

<?php echo $paginatitulo ?>

O apoio do Governo do Estado, por meio do Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS), em parceria com o Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec) tem mudado a vida de diversos pequenos e médios empresários no interior sergipano. Através do Projeto Rede de Extensão Tecnológica (Redetec), empresas de variados ramos vêm recebendo a oportunidade de solucionar os obstáculos relacionados à gestão e à produção, contando com suporte tecnológico especializado. No setor têxtil, as ações do Redetec vêm ajudando os proprietários e trabalhadores a dinamizar as confecções, resultando em uma fabricação mais célere e em produtos de maior qualidade.

A confecção Divina Mulher, de Itabaianinha, é uma das empresas que recebeu a consultoria do projeto. O empresário Joselito Barbosa do Nascimento, que chefia o empreendimento, comenta que o auxílio do Redetec rendeu melhorias imediatas em sua empresa. “Comecei desacreditado, mas foi bem ao contrário do que eu imaginava. As consultoras são profissionais de verdade e nos ajudaram principalmente na parte de produção, nossa grande dificuldade. Em tão pouco tempo, meteram a mão na massa e conseguiram abranger a empresa em todos os aspectos. Na hora, a gente já conseguiu implantar a marcação do tempo de peça e adaptação na modelagem”, diz.

Itairon Costa Silva é proprietário da confecção Vestmed, de Tobias Barreto, e também foi contemplado pela consultoria do Redetec. Ele afirma que o projeto trouxe inovações, além de ajustar processos já adotados. “O Redetec nos ajudou a organizar a produção, posicionar potenciais colaboradores em seus perfis de trabalho e motivar toda a equipe. Também melhoramos a automação das modelagens, que já tínhamos, mas que precisava de correções. Foi uma ótima oportunidade”, resume.

De acordo com a consultora de moda do Redetec, Karinne Nascimento, as dificuldades apresentadas pelas empresas de Joselito e Itairon são as mesmas de diversos empresários e trabalhadores do ramo têxtil em Sergipe. Karinne explica que a falta de mão de obra especializada e de adequação aos padrões de tamanhos estabelecidos pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) são alguns dos principais desafios da indústria de confecção no estado, assim como o desconhecimento de formas de trabalho que englobam o layout de células fabris e a cronometragem de produtos.

“O mercado têxtil cresce rápido, e a introdução de máquinas digitais e dos processos de confecção 4.0 vem invadindo o mundo. Diante disso, o Redetec está atuando de maneira transformadora e preparatória para a imersão das fábricas no universo tecnológico da nova indústria têxtil. O trabalho vai da gestão de processos produtivos à excelência da qualidade das peças, passando pela transição da modelagem manual para a digital e pela transformação no desenvolvimento de produtos. Estamos atuando de maneira concisa e personalizada em cada empresa, atendendo a cada uma em suas maiores necessidades”, contextualiza a consultora.

Redetec

Através do Redetec, o ITPS procura solucionar gargalos de gestão, adaptação de produtos, e processos de melhoria, por meio de extensão tecnológica em empresas. O projeto é dedicado a microempreendedores individuais (MEI), microempreendedores, pequenas e médias empresas sergipanas dos ramos de confecção, alimentos, petróleo e gás, cerâmica e móveis. Em função da pandemia, a contrapartida financeira das empresas atendidas pelo Redetec foi dispensada, como forma de incentivo ao setor produtivo do estado.

“O Redetec tem como premissas o apoio tecnológico a empresas sergipanas por um custo acessível, a promoção das atividades analíticas do ITPS junto à comunidade empresarial, a melhoria da qualidade e competitividade das empresas e a capacitação de mão de obra de chão de fábrica, entre outras. No ramo têxtil, o foco é no desenvolvimento de layout industrial, modelagem plana e computadorizada, processos produtivos e ergonomia. Os serviços são realizados presencialmente, a partir de um diagnóstico que identifica a necessidade particular de cada empresa”, detalha a responsável técnica do Redetec, Sueli Andrade.

Para vincular-se ao Redetec, basta comprovar o status de MEI, micro, pequena ou média empresa de Sergipe, além de possuir CNPJ e desenvolver atividades dentro de um dos cinco ramos industriais especificados pelo projeto. Os interessados podem entrar em contato pelo número (79) 3179-8081, no setor Redetec/Sibratec.

Por Verlane Estácio

Foto assessoria




Tópicos Recentes