23/10/2020 as 05:39

Lembra Silvio Luís? Confira comigo no replay.

O telemarketing do IBOPE praticamente variou na margem de erro do levantamento anterior

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

O Ibope divulgou mais um telemarketing (pesquisa) de opinião pública sobre a corrida eleitoral em Aracaju. Na nova sondagem, o prefeito Edvaldo Nogueira, que disputa a reeleição, e o deputado estadual Rodrigo Valadares, que disputa a prefeitura pela primeira vez, foram os que mais cresceram, enquanto a delegada Danielle Garcia caiu na preferência popular. Ainda, segundo o Ibope, o ex-deputado federal Márcio Macêdo e a delegada Georlize Teles também cresceram na pesquisa. O ex-prefeito Almeida Lima, o publicitário Lúcio Flávio e o delegado Paulo Márcio despencaram na nova sondagem. Confira os números da pesquisa: Edvaldo Nogueira (PDT): 34%; Danielle Garcia (Cidadania): 19%; Rodrigo Valadares (PTB): 10%; Márcio Macêdo (PT): 6 %; Georlize Teles (DEM): 4%; Lúcio Flávio (Avante): 2%; Alexis Pedrão (PSOL): 2%; Almeida Lima (PRTB): 1%; Paulo Márcio (DC): 0%; Gilvaní Santos (PSTU): 0%; Juraci Nunes (PMB): 0 %; Branco/ Nulo: 15%; Não sabe/ Não respondeu: 6%.

Praticamente nada mudou, continue a conferir: Comparação com a pesquisa Ibope do dia 9 de outubro: Edvaldo Nogueira subiu de 32% para 34%; Danielle Garcia saiu de 21% e caiu para 19%; Rodrigo Valadares foi de 6% para 10%;  Márcio Macêdo foi de 5% para 6%; Georlize Teles foi de 3% para 4%; Lúcio Flávio caiu de 3% para 2%; Alexis Pedrão estava com 2% e continua com os mesmos 2%; Almeida Lima estava com 3% e caiu para 1%; Paulo Márcio foi de 1% para 0%; Gilvaní Santos permanece sem pontuação 0%; Juraci Nunes foi de não citado pelos entrevistados para 0%; Brancos/Nulo de 18% caiu para 15%; Não sabem ou não respondeu manteve em 6%.  Agora vamos a rejeição: Almeida Lima: 47%; Rodrigo Valadares: 31%; Edvaldo Nogueira: 28%; Delegada Danielle: 25%; Márcio Macêdo: 22%; Lúcio Flávio: 14%; Delegado Paulo Márcio: 13%; Alexis Pedrão: 12%; Georlize Teles: 11%; Gilvaní Santos: 11%; Juraci Nunes: 11%; Poderiam votar em todos: 1% Não sabem ou preferem não opinar: 10%. Agora vamos a simulação do segundo turno: Edvaldo Nogueira: 47%; Danielle Garcia: 34%; Branco/nulo: 14%; Não sabe: 5%. O telemarketing Ibope, que ouviu 504 eleitores, foi realizado nos dias 20 e 21 de outubro e tem margem de erro de 4 pontos percentuais para mais ou para menos. Encomendada pela TV Sergipe, a pesquisa tem 95% de nível de confiança e está registrada na Justiça Eleitoral sob o número: SE‐08376/2020.

NA FILA DO PÃO

A candidata a prefeita de Aracaju Danielle Garcia (Cidadania), rebateu as críticas  do também candidato Rodrigo Valadares (PTB) e foi dura em seus comentários sobre o concorrente. Danielle Garcia  chamou Rodrigo Valadares de moleque e ironizou: “Quem é Rodrigo na fila do pão?”.  Danielle disse que Rodrigo “é um menino, que nem acorda na hora das entrevistas”, fustigou. Ao ser questionada se estava incomodada com as críticas feitas a ela pelo petebista, Danielle respondeu: “Não me incomoda. Quem é Rodrigo na fila do pão?”, indagou. Ainda sobre Rodrigo, Danielle negou que esteja escondendo qualquer um de seus aliados, como ele apontou, e o desafiou a fazer campanha com Cristiane Brasil, ex-deputada federal e aliada dele. Cristiane é filha do ex-deputado federal Roberto Jeferson, delator do Mensalão. Ela estava presa até a semana passada, depois de ter sido acusada pelo MP fluminense de receber propina e participar de um esquema de fraudes em licitações. Danielle aproveitou para falar sobre sua relação política com Alessandro Vieira e porque ele não está nos palanques dela: “Quando conversei com o senador, em Brasília, e me foi feito o convite para disputar a prefeitura de Aracaju, eu só fiz uma exigência: que eu decidisse os rumos da campanha. Eu sou a candidata, então eu decido. Não estou escondendo ninguém, eu sei me virar sozinha. Por que Alessandro tem que estar o tempo todo comigo? A campanha é de Danielle”, pontuou.

CONSELHOS

Em conversa com apoiadores o presidente Jair Bolsonaro sugeriu critérios que os eleitores devem levar em consideração na hora de definir em quem vão votar nas eleições 2020. Para Bolsonaro, a população deve analisar, além do partido, se o candidato adotou medidas de restrição no combate ao novo coronavírus ou até se apoia o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST). "Quer eleger um cara? Veja o que ele fez durante a pandemia, o prefeito, vê se você concorda com as medidas que ele tomou, obrigando fechar tudo, falando grosso, prendendo mulher em praça pública, fechando praias", disse na saída do Palácio da Alvorada. "Candidatos agora têm que ser questionados sobre isso porque esse vírus vai durar por muito tempo. O cara assume em janeiro você tem saber agora a posição dele." Para o presidente, a "triagem" dos candidatos também depende do partido que representam. "Vocês têm que ver o partido que o cara está, tem esses partidos que pregam destruição de lares e ideologia de gênero." Bolsonaro reafirmou estar sem partido e que isso o livra da "pressão" para apoiar candidaturas. Ele voltou a criticar ainda o uso do seu nome para atrair votos nas eleições.

PINTANDO CLIMA

Um dia após falar em "traição" e desautorizar o ministro da Saúde publicamente, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez uma visita ao general Eduardo Pazuello para acabar com rumores de que o auxiliar seria demitido. A visita, fora da agenda oficial dos dois, foi transmitida por uma rede social de Bolsonaro, que foi ao Hotel de Trânsito de Oficiais do Exército, onde Pazuello recupera-se da Covid-19. Apesar do diagnóstico confirmado, os dois sentaram-se próximos e não usaram máscara de proteção. Bolsonaro já contraiu a doença. Na transmissão, ambos negaram atrito. "Semana que vem talvez, com toda certeza, tu volta para o batente", disse Bolsonaro. "Pois é, estão dizendo que não, né? Estamos juntos", reagiu Pazuello. "Falaram até que a gente estava brigado aqui. No meio militar, é comum acontecer isso daqui, algum choque, alguma coisa. Não teve problema nenhum", prosseguiu Bolsonaro.  Bolsonaro desautorizou Pazuello, que, no dia anterior, havia anunciado um acordo com o estado de São Paulo para a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac, vacina da farmacêutica chinesa Sinovac que será produzida no Brasil pelo Instituto Butantan. A um internauta que acusou Pazuello de traí-lo com o acordo de compra da vacina e disse que Bolsonaro havia se enganado mais uma vez com alguém de sua equipe, o presidente falou em traição. "Senhores, é simples assim. Um manda e o outro obedece, mas a gente tem um carinho", disse Pazuello. "Opa, está pintando um clima aqui", disse Bolsonaro em tom de brincadeira.

LIBERADO

O candidato a vereador do município de Carira, Edilvan Messias dos Santos, conhecido como Vanzinho de Altos Verdes (PSD), que foi preso nessa quarta-feira (21) com R$ 15 mil na cueca, enquanto fazia campanha eleitoral em um povoado de Carira junto com um candidato a prefeito foi liberado. Segundo informações da assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública (SSP), foi instaurado um inquérito policial e o caso será investigado  com  realização das oitivas. O candidato a vereador foi preso pela Polícia Militar com suspeita de compra de voto, quando conduzia um veículo com um grande material de propaganda eleitoral. Ao revistá-lo, a PM encontrou uma sacola plástica guardado na cueca com células de dinheiro. Ele alega que tinha recebido o dinheiro em Itabaiana para a compra de um veículo. O diretório municipal do PSD em Carira disse, em nota, que repudia qualquer ato de irregularidade ou ilegalidade. Acrescentou que o partido não pode ser responsabilizado pela conduta do filiado e que irá apurar o caso.

CARREATA NÃO SAIU

O deputado estadual e candidato a prefeito de Tobias Barreto, Dilson de Agripino, teve a carreata agendada para quarta-feira, dia 21, barrada por determinação judicial. Os candidatos do município já haviam sido comunicados de que não poderiam realizar atos que promovessem aglomeração de pessoas, por conta da pandemia do novo coronavírus. Mas o candidato descumpriu a recomendação e agendou o evento. O Ministério Público entrou com uma ação em pedido de urgência e conseguiu barrar a carreata, fazendo cumprir a determinação e as medidas sanitárias tão necessárias no momento.

FRENTE PARLAMENTAR

O Conselho Gestor da Frente Parlamentar em defesa do Setor de Serviços se reuniu com o presidente da Frente, deputado federal Laércio Oliveira para debater as ações desenvolvidas durante o ano. A representante da IGEOC, Mariane Schetter, apresentou um relatório das atividades desenvolvidas abordando temas como reforma tributária, desoneração da folha de pagamentos, parcelamento de tributos, Pronampe, Lei Geral da Proteção de Dados, Nexo Causal, entre outros assuntos. Preocupada com as propostas de reforma tributária que podem aumentar os impostos para o setor de Serviços, a Frente se mobilizou e realizou diversas reuniões para defender o setor com o ministro da Economia, Paulo Guedes, com o secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade Carlos da Costa, o Secretário Especial da Receita Federal José Tostes Neto, o Professor Marcos Cintra, o relator da Reforma Tributária Aguinaldo Ribeiro e com Alberto Macedo, do Movimento Simplifica Já. “Nós defendemos o emprego na Reforma Tributária. O setor de Serviços é o que mais emprega e representa 70% do PIB. Não pode sofrer aumento de impostos”, disse Laércio. A frente atuou também com ações para a desoneração da Folha de Pagamentos e o parcelamento de tributos federais. “Esse é um assunto de muita importância porque se não houvesse parcelamento, iria haver sobrecarga ou cumulatividade nos pagamentos”, afirmou a presidente da FENINFRA, Vivien Mello. “Com esse intuito tratamos sobre o tema em reuniões com autoridades do Poder Executivo, incluindo o Secretário Especial da Receita Federal, Tostes Neto, para sensibilizá-los da situação”, afirmou Mariane Schetter.




Tópicos Recentes