SAÚDE

27/03/2020 as 14:00

Ginecologista orienta gestantes sobre como lidar com a pandemia

Com a declaração da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a pandemia do novo coronavírus os questionamentos entre as mulheres gestantes ficaram cada vez mais frequentes

<?php echo $paginatitulo ?>

Para esclarecer as principais dúvidas relacionadas aos exames de rotina, acompanhamento no pré-natal e cuidados básicos diante do isolamento social conversamos com o ginecologista Alexandre Costa.

Considerando que as grávidas se encaixam no grupo de pessoas vulneráveis ao covid-19, por terem suas imunidades mais baixas, o médico destaca que é fundamental agir com o mesmo cuidado que precisamos ter com os idosos. “De uma forma geral eu tenho dito para elas não esperarem um cuidado específico para as grávidas e sim para o grupo de risco”, destaca.

Acompanhamento pré-natal

A assistência pré-natal é basicamente uma “uma bateria” de exames que são feitos durante a gravidez com o intuito de realizar um acompanhamento detalhado sobre a saúde da mulher e do bebê, sendo hoje uma das maiores dúvidas entre as mulheres que se encontram em isolamento social.

De acordo com o ginecologista e com a última recomendação do Ministério da Saúde, os pré-natais não serão suspensos. O médico ressalta ainda que é preciso prestar atenção ao prazo da ultrassonografia morfológica exigida no primeiro trimestre da gestação. Segundo ele, o exame pode, inclusive, se encaixar numa demanda de urgência por ser um tipo de procedimento que a grávida tem um período de apenas três semanas para realizar. “Encontrando uma clínica que esteja funcionando e que realize esse tipo de exame o ideal é explicar a situação e agendar um horário para realiza-lo”, orienta.

Embora as consultas rotineiras possam acontecer, mantendo os devidos cuidados diante da pandemia, é importante lembrar que manter contato com as clínicas é de grande importância, já que os procedimentos estão sujeitos a remanejamento nos locais de atendimento para que aglomerações sejam evitadas.

 

Cuidados básicos

Entre os cuidados básicos que a situação requer, como higienização das mãos e o próprio isolamento social, recomendados para toda a população, o ginecologista aconselha que as gestantes mantenham os hábitos que te fazem bem. “Se tomar vitamina C, por exemplo, te faz bem, não há problema algum nisso, desde que a manutenção dos cuidados básicos não seja esquecida”, afirma o médico.

Ele salienta ainda que as pessoas que convivem com as gestantes devem redobrar os cuidados para não colocar as mulheres em risco. “É preciso ter um cuidado maior ao entrar e sair de casa, como trocar de roupa e tomar banho de imediato, além de desinfetar os objetos pessoais para diminuir os riscos, principalmente os celulares”, orienta.

“A vida do bebê também está em risco?’

Embora não exista nenhum estudo que aponte danos aos fetos causados pelo Covid-19, o médico afirma que as gestantes podem ficar tranquilas quanto a isso. Segundo ele, até o momento a única consequência observada foi um aumento considerável de partos prematuros, chegando a afetar 47% das gestantes que se encontram na reta final da gravidez. “Apesar desse aumento ter sido desencadeado, por já estarem nas últimas semanas da gestação os bebês estão se desenvolvendo bem”, explica.

A amamentação em crianças recém nascidas também permanece liberada, sendo preciso manter os cuidados básicos de higienização para que a mãe e a criança não estejam em risco. Já em relação ao risco de transmissão da doença para o feto, o médico afirma que a transmissão vertical ainda não foi confirmada pelos órgãos da saúde, mantendo a segurança de que a transmissão não ocorre em casos em que a mãe venha a ser detectada com a doença.




Tópicos Recentes