POLÍTICA

01/07/2022 as 12:55

TSE é um tribunal que decide com viés politico, dispara Marco Pinheiro.

O pré-candidato a deputado estadual considera que a decisão do TSE contra Valmir teve motivação política


Reprodução<?php echo $paginatitulo ?>

Empresário no ramo de segurança privada há anos, Marco Pinheiro (PL), em 2022 ingressa na vida pública certo de que contribuirá para o estado de Sergipe. O pré-candidato à deputado estadual é apoiador declarado de Bolsonaro e não abre mão da pré-candidatura de Valmir de Francisquinho. Nesta sexta, 1, Marco Pinheiro concedeu entrevista ao programa Sem Censura, da rádio Sara Brasil (97.1).

O pré-candidato estadual diz que não vê na Alese a representatividade e a proatividade necessária para Sergipe. “ Falta visão empreendedora, falta incentivo à cultura local e falta sensibilidade. Qual foi o projeto político que os deputados atuais apresentaram na pandemia? Por que não apresentar um projeto para os sanfoneiros que ficaram parados durante esses dois anos, por exemplo?”, declara.

Depois de ter saído do Progressistas e se filiado ao Partido Liberal, a relação de Marco Pinheiro com o deputado federal LAércio Oliveira (PP) ficou em questão: “Sempre fui amigo e apoiador de Laércio, entretanto hoje, preciso ter lado e estou ao lado de Eduardo Amorim para senador, que também é um homem competente”, explica Marco.

Questionado sobre a decisão do TSE sobre a inelegibilidade de Valmir de Francisquinho, ele coloca: “O TSE com membros do STF, que ‘descondenam’ o maior bandido do Brasil é claramente um tribunal que decide com um viés político. É um absurdo condená-lo pela ‘cor azul’, portanto não há plano B enquanto houver recurso”, garante o pré-candidato.


Mariana Gotta




Tópicos Recentes