POLÍTICA

22/06/2022 as 16:08

‘Falei com a alma e as pessoas se sentiram representadas', conta Sônia Meire (PSOL)

Pré-candidata a deputada federal, participou do evento do PT no sábado, mesmo sem apoiar o partido em Sergipe


Foto: @amar.elophotos<?php echo $paginatitulo ?>

A oitava vereadora mais bem votada nas eleições de 2020, Sônia Meire, discursou no evento petista neste último sábado, 18, sendo bastante aplaudida pelo público. Nesta quarta, 22, em entrevista, a então pré-candidata a deputada federal reafirmou seus posicionamentos políticos e explicou a presença do PSOL no palanque do PT.

Não diferente de seu próprio discurso no sábado, 18, Sônia Meire em entrevista ao Sem Censura pegou o microfone para defender sua luta e seus ideais políticos. A pré-candidata a deputada federal tocou em casos polêmicos e atuais como o da promotora que foi violentada por outro promotor, a criança de 11 anos que foi impedida de cometer um aborto e o caso Genivaldo. Em sua fala defende as minorias, repudia violência e espera que os direitos humanos sejam garantidos, além disso, trouxe a problemática da fome, do agronegócio e criticou a reforma trabalhista.

Foi defendendo essas pautas que ela foi aplaudida pelo público no evento petista que contou com a presença do pré-candidato à presidência da república. “Falei com a alma e as pessoas se sentiram representadas. Estávamos presentes para defender essas pautas e apoiar o único pré-candidato que pode tirar Bolsonaro do poder, que é o Lula. Mas não nos alinhamos ao PT em Sergipe porque o PSOL luta contra as oligarquias sergipanas que comandam o Estado há anos. Ainda tentamos um diálogo com o PT, porém não nos alinhamos”, explica a pré-candidata.

Especula-se que a condição do PSOL para uma aliança com o PT em Sergipe, fosse o lançamento da pré-candidatura ao Senado de Henri Clay, entretanto ela foi preterida a Valadares Filho (PTB). Desta forma, em 2022, o PSOL lançará candidatos a federal e estadual  e a chapa majoritária pura que ainda está sendo discutida internamente: “Para governo temos nomes como o presidente municipal do Psol, Demétrio Varjão e a advogada filiada, Niully Campos, mas o nosso direcionamento é que seja uma chapa composta por homens e mulheres”.


Mariana Gotta


Colunistas


Tópicos Recentes