POLÍTICA

10/10/2021 as 08:26

Airton Costa, presidente do DC/SE, anuncia Dr. Antônio Cláudio Neves como pré-candidato do partido ao governo do estado

No Domingueira do Alô, Airton ainda fez duras criticas ao atual governo sergipano

Domingueira do Alô

Entrevistas
<?php echo $paginatitulo ?>

O Domingueira do Alô deste domingo (10) entrevistou Airton Costa, Presidente Estadual do Democracia Cristã, partido que já lançou pré-candidato ao Governo de Sergipe, o médico geriatra Dr. Antonio Claudio Neves e pretende ter candidatos a Deputado e ao Senado. Costa ainda criticou os governos estaduais e federais e fez uma análise dos desafios para o próximo governador do estado.

Alô News - Por que o DC resolveu lançar candidatura própria ao governo de Sergipe?

Airton Costa - Tendo em vista a situação atual do país onde o ódio e uma falsa polarização entre uma esquerda sectária e mentirosa e uma extrema-direita fundamentalista que só está levando o país ao caos decidiram lançar pré-candidatura própria á presidência da república e a governador de Sergipe agora em 2022.

AN - Por que o partido decidiu pelo nome do Dr. Antonio Claudio Neves para ser o candidato?

AC - Nós escolhemos o nome do Dr. António Cláudio, médico Geriatra, por se tratar de uma pessoa extremamente focada nos problemas de Sergipe e ter uma larga experiência administrativa. Representa um segmento de idosos, pensionistas e aposentados que estão as margens das políticas públicas. Sergipe tem grupo que governa a mais de 20 anos, no meu ponto de vista esse grupo que está ai já perdeu o prazo de validade. 

AN - Já tem o nome do pré-candidato a vice-governador definido?

AC - Estamos montando ainda a chapa majoritária, conversando com os outros partidos e nomes que possam somar nesse projeto. É claro que a escolha do nome do vice será feito naturalmente com esses setores que venham agregar e somar para mudar Sergipe.

AN -Quais serão as principais pautas defendidas pelo partido em 2022?

AC - Olha, Sergipe tem vários problemas um deles é a falta de investimento. Apostamos na industrialização como forma de criação de emprego e renda. Sergipe é rico em riquezas naturais como o petróleo, somos o 5º maior produtor de petróleo do Brasil e seu povo vive com muita dificuldade, falta saúde, educação e segurança. Temos um pré-sal sergipano na nossa costa a 100km de Aracaju e o governo não explora essa riqueza para o bem do nosso povo. Sergipe hoje já cabe uma universidade estadual para criação de curso de alta tecnologia como química fina, engenharia e informática. Precisamos construir um hospital de alta complexidade para desafogar o HUSE e voltar a polícia de fronteiras para coibir o tráfico de armas e drogas. O tema dos servidores públicos é de suma importância temos que pagar bem e melhor aos nossos servidores. O DC tem um compromisso de trazer de volta nossa maior empresa do estado que é a Petrobras marco do nosso desenvolvimento.

AN - Quais serão os principais desafios para o novo governador a partir de janeiro de 2023?

AC - Acho que respondemos isso na pergunta anterior. Mais nosso desafio será transformar Sergipe em um grande polo industrial onde seu povo terá emprego e os serviços públicos realmente funcionem. Esse governo que está ai não tem projeto, virou as costas para o povo.

AN - Além da candidatura ao governo do estado, como o partido está se organizando para os outros cargos? Terá candidatura ao senado? E terá chapas na proporcional?

AC - Estamos trabalhando todos os dias para montar uma boa chapa para deputados federais e estaduais. Ao Senado temos conversado com vários nomes como Teixeira Caminhões, Emanoel Cacho, Ivan Leite, Paulinho Tur e o ex deputado Jorge Alberto. No momento certo iremos definir o nome para o senado.

AN - Nos últimos dias o partido anunciou que algumas lideranças de vários municípios estavam chegando a legenda. Esses nomes fazem parte do projeto de 22 ou para as eleições municipais de 24?

AC – Veja, as eleições de 2022 é o espelho de 2024. Estamos nos fortalecendo em muitos municípios sergipanos, principalmente nas grandes cidades como São Cristóvão, Aracaju, Socorro, Lagarto, Itabaiana, Porto da Folha e Estância. É claro que isso é processo e muita água ainda vai rolar de baixo da ponte. O importante que no DC todos terão seus projetos garantidos.

AN - Nacionalmente, como o DC irá para 2022. Terá candidatura própria? Eymael novamente? Ou optará por apoiar outros nomes?

AC - Nosso pré-candidato a presidente da república será nosso presidente nacional, o constituinte José Maria Eymael, para pacificar o país e construir uma sociedade livre, justa e solidária.

AN - O partido hoje não tem nenhum representante no parlamento, o senhor acredita que poderá ter alguma representação a partir de 23?

AC - Nosso partido já foi um dos maiores partidos do Brasil, nos anos 90 tivemos 22 deputados federais e 3 senadores. O DC é o maior partido do mundo presente em mais de 100 países e no Brasil estamos a cada dia voltando a ser aquele partido dos anos 90 e acredito que vamos superar a cláusula de barreira e com certeza eleger vários deputados federais, estaduais, governadores e senadores. Nosso crescimento é notório, em várias capitais elegemos vereadores e superamos em número de vereadores vários partidos.

AN - Como DC avalia a gestão do governo de Sergipe? O que poderia ser feito diferente?

AC - A gestão do governador Belivaldo Chagas é um desastre, um governo perdido, não tem projeto e fica se preocupando em nomear aliados políticos ao invés de resolver os graves problemas que atinge o nosso povo, que é o desemprego, saúde, segurança e proporcionar uma educação de qualidade. Um governo fraco e negligente que não soube, por exemplo, enfrentar a pandemia.

AN - Como o DC avalia a atuação dos parlamentares sergipanos?

AC - Nossos parlamentares são muito limitados. Não tem uma visão de estado, por exemplo, nossos deputados federais ainda não mostraram para que foram eleitos. A Petrobras que é a nossa principal empresa de Sergipe que até pouco tempo era responsável por 40% do PIB industrial do Estado saiu de Sergipe e nossos parlamentares não fizeram nada para impedir esse desastre, ou seja ficaram calados e serão responsáveis historicamente por ter tirados centenas de emprego dos sergipanos. Lamentável.

AN - Como o DC avalia a atuação do Governo Federal?

AC – Bolsonaro é sem dúvida o pior presidente da história do Brasil. Um presidente insensível, imprudente que na pandemia pregou tratamento sem eficácia comprovada e estimulou aglomerações, o não uso de máscaras. Na economia deixou nosso PIB no chão, nosso crescimento industrial negativo e praticamente nenhum investimento público. Privatizou a Eletrobrás e entregou nossa base aérea de Alcântara ao governo estadunidense. Faz uma política externa subserviente atrelada ao governo estadunidense ao invés de ter uma política altiva e de soberania nacional.




Tópicos Recentes