15/06/2021 as 05:39

Edvaldo e André largam na frente para 2022

Pesquisa foi realizada no estado e foi contratada por um dos postulantes ao cargo de governador

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

Uma pesquisa de intenção de voto para as eleiçoes de 2022, foi realizada recentemente no estado. A pesquisa foi contratada por um dos prováveis candidatos ao governo do estado e concluída neste final de semana. Tive acesso aos numeros que demonstram as lideranças do prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) para o governo e a do ex-deputadofederal André Moura para o senado. Segundo os numeros, o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) vem em segundo lugar e o senador Rogério Carvalho (PT) aparece em terveiro lugar no levantamento. Depois aparecem os nomes do senador Alessandro Vieira (Cidadania), o do conselheiro Ulices Andrade e o deputado federal Laércio Oliveira (PP).

Para o Senado o ex-deputado federal André Moura (PSC) vem em primeiro lugar com ampla vantagem sobre a segunda colocada  a delegada Daniele Garcia (Cidadania). O ex-senador Antônio Carlos Valadares (PSB) tambem aparece na pesquisa em terceiro lugar. Ainda aparecem os nomes do ex-presidente da OAB, Henri Clay (PSOL), do ex-senador Eduardo Amorim (PSDB) e do deputado federal Laércio Oliveira (PP). A pesquisa foi realizada em vários municípios do Estado, incluindo a grande Aracaju, o sertão, o agreste, e as regiões sul e centro-sul, sendo mais abrangente que as pesquisas anteriores já divulgadas pela imprensa. Muitos podem dizer, que neste momento pesquisa e nada podem ser a mesma coisa, mas esta demonstra claramente a intenção de momento do eleitorado sergipano, que demonstra a atual dança dos nomes que em 2022 muito provavelmente estaram na disputa.

COVID-19

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou o boletim epidemiológico do coronavírus, com 902 casos, sete óbitos nesta segunda e 17 mortes que estavam em investigação e foram confirmadas. Em Sergipe, 252.753 pessoas já testaram positivo para a Covid-19 e 5.405 morreram. Até o momento, 230.928 pacientes foram curados. Foram realizados 515.811 exames e 263.058 foram negativados. Estão internados 776 pacientes, sendo que no serviço público são 221 em leitos de UTI (adulto), seis na UTI neonatal/ pediatria e 216 em leitos clínicos (enfermaria), totalizando 443. Já nos leitos do serviço privado estão internados 159 pessoas na UTI adulta, seis na UTI neonatal/ pediatria e 168 em leitos clínicos, totalizando 333. São investigados mais quatro óbitos. Ainda aguardam resultados 2.145 exames coletados. A Secretaria já distribuiu o total de 701.013 doses da primeira remessa aos municípios, destas foram aplicadas 591.572. Referente à segunda dose, foram distribuídas 270.813, sendo aplicadas 210.993 doses. Mais detalhes sobre o novo boletim epidemiológico da Covid-19 em sergipecontraocoronavirus.net.br.

VACINAÇÃO EM ARACAJU

A Prefeitura de Aracaju antecipará o calendário de vacinação contra a covid-19 e incluirá toda a população acima de 40 anos, a partir desta terça-feira, 15. De acordo com o novo calendário vacinal do município, anunciado pelo prefeito Edvaldo Nogueira pelas suas redes sociais, nesta segunda-feira, 14, o público priorizado nesta fase receberá a primeira dose de forma escalonada. Todas as pessoas terão à disposição 17 Unidades Básicas de Saúde, sete pontos fixos e o drive-thru localizado no Parque da Sementeira. “Começo a semana com uma boa notícia para as aracajuanas e os aracajuanos: vamos antecipar ainda mais as faixas etárias na vacinação contra a covid-19 na nossa cidade, para que a gente possa, mais rapidamente, vencer o coronavírus. Temos 25 pontos de vacinação e, até a próxima segunda-feira, vacinaremos todos os moradores de Aracaju acima dos 40 anos. É fundamental que todos acompanhem o calendário e não deixem de vacinar”, afirmou Edvaldo. Pelo novo cronograma, nesta terça-feira, 15, receberão a vacina os aracajuanos de 51 anos. Na quarta-feira, 16, será a vez dos cidadãos de 49 e 50 anos. Já na quinta-feira, 17, serão imunizadas as pessoas de 47 e 48 anos, e na sexta-feira, 18, as que possuem 45 e 46 anos. No sábado, 19, recebem a primeira dose a população de 43 e 44 anos. No domingo, 20, serão vacinados os cidadãos de 41 e 42 anos. Para concluir, na segunda-feira, 21, serão imunizados os aracajuanos de 40 anos.

GRANA DEVOLVIDA

A prefeitura de Maruim devolveu, em 2020, no apagar das luzes do último ano de gestão do prefeito Jeferson Santana (MDB), cerca de R$ 850 mil aos cofres da União, referentes a oito convênios que foram celebrados, entre os anos de 2010 e 2017, mas que não tiveram seus recursos integralmente aplicados. Os dados estão disponíveis no Portal da Transparência. São investimentos que foram disponibilizados, por meio dos Ministérios dos Esportes, Cidades e Turismo, para a promoção de políticas públicas em diversas áreas, como urbanização, pavimentação de vias, construções e reformas de praças e quadras esportivas, entre outros. As devoluções foram realizadas durante os meses de abril, maio, agosto e novembro de 2020. No mês de abril, foram devolvidos cerca de R$ 360 mil, referente a três convênios, que previam a reforma do campo de futebol Gonçalo Prado, a reforma da Praça da Matriz e a reforma do Parque Otto Schramm. Para este último, o valor celebrado foi de R$ 292.500,00, porém a prefeitura devolveu R$ 139.513,54 (Contrato Sincov 736400). Para reforma da Praça Barão de Maruim, conhecida como a praça Matriz (Contrato Sincov 798003), o Ministério do Turismo liberou R$ 438.750,00, em 2013. Porém, sete anos depois, a prefeitura devolveu R$ 141.865,98, o equivalente a um terço do total destinado. “Essa era uma obra prevista para receber investimentos de cerca de R$ 1 Milhão, em duas etapas, porém, ao que tudo indica, a prefeitura não deve ter conseguido executar o que estava previsto na primeira. O pior é que, além de devolver parte considerável do recurso, ainda deixou de receber a outra metade restante”, explica um funcionário da Secretaria de Obras da prefeitura, que pediu para não ser identificado. De acordo com ele, é comprida a lista de obras deixadas sem a devida conclusão pela gestão anterior.

CHIQUINHO FERREIRA

O radialista e publicitário Chiquinho Ferreira será o novo secretário de comunicação de Itabaiana, município do agreste sergipano. O convite foi feito pelo prefeito Adailton Sousa (PL): “Chiquinho Ferreira é uma das maiores referências em assessoria de imprensa e marketing institucional e político de Sergipe”, disse o gestor. O novo secretário assumirá na próxima quinta-feira (17), em solenidade que será transmitida, a partir das 9h, nas nossas redes sociais da Prefeitura. Segundo Chiquinho, assumir a Secretaria de Comunicação é um novo capítulo importante em sua trajetória profissional. “Atuo na comunicação desde a década de 80 e tenho acompanhado todas as evoluções da área durante este tempo. Aceitei o convite por acreditar que posso realizar um trabalho relevante no município e auxiliar a gestão do prefeito Adailton Sousa a divulgar com eficiência os serviços que são executados no município”, afirma o novo secretário. Essa é a segunda vez que Chiquinho ocupará a Secom de Itabaiana. A história de Chiquinho Ferreira na comunicação iniciou na década de 80, como radialista, repórter e entrevistador.  Na década de 90, assumiu a Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Aracaju. Desde então, Chiquinho atuou em diversos setores, tendo ocupado o cargo de secretário adjunto de comunicação na gestão do governador João Alves Filho;  secretário de comunicação de Socorro; secretário adjunto de Comunicação no governo Marcelo Déda (PT) e secretário titular no período da reeleição do petista; assessor de comunicação da Secretaria de Estado da Saúde (três gestões consecutivas) e diretor de radiodifusão da Fundação de Cultura e Arte Aperipê, na gestão do governador Belivaldo Chagas.

CIBERCRIME

A Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados promoveu audiência pública,  para avaliar a proposta de adesão do Brasil à Convenção sobre o Cibercrime, também chamada de Convenção de Budapeste, em referência ao local de assinatura, em 2001. A convenção recebeu até o momento a adesão de 66 países. Ela elenca tipos de ilícitos criminais relacionados a tecnologias da informação e fixa procedimentos para a cooperação internacional neste tema e procedimentos de acesso a provas e informações por um país fora de sua jurisdição. O país foi convidado a assinar o tratado internacional. O governo federal iniciou o processo em 2019. Agora cabe ao Congresso Nacional avaliar a participação ou não do Brasil no tratado. O chefe da Divisão de Combate ao Crime Transnacional (DCIT) do Ministério das Relações Exteriores, Eric do Val Lacerda Sogocio, declarou que o Itamaraty entende como momento adequado de aderir à convenção como forma de facilitar que órgãos de persecução penal tenham mais condições para obter informações e provas. “Também como parte da convenção, o Brasil passaria a receber o reconhecimento de que suas leis e políticas de combate ao crime cibernético são compatíveis com as normas internacionais, o que reforça a imagem de parceiro confiável. O país passaria a participar do protocolo sobre prova eletrônica, que atualiza a convenção e padrões para intercâmbios para esse tipo de informação”, explicou. A diretora do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Silvia Amélia Fonseca de Oliveira, manifestou- se em sentido semelhante.

AMORIM I

Em entrevista, nesta segunda-feira, 14, ao Liberdade sem Censura o presidente do PSDB Sergipe, o médico e ex-senador Eduardo Amorim, destacou as perspectivas do partido para 2022 e as especulações sobre possíveis mudanças no comando da sigla no estado. Ele também falou sobre sua internação para tratamento da Covid-19. “Mesmo na pandemia eu segui atuando em diversas cirurgias, inclusive entubando pacientes diariamente. O risco era muito grande e eu sabia disso, mas enquanto soldado da saúde não poderia fugir da guerra. Fui ferido, fiquei internado, mas afirmo aqui: a vacina ajudou a salvar minha vida. Se eu não estivesse imunizado com as duas doses talvez eu não estaria aqui hoje, com vida e saúde, retornando ao trabalho no Centro Cirúrgico”, salientou. O ex-senador classificou como especulações as notícias sobre uma possível troca no comando do partido em Sergipe. “Não fui contatado pela Executiva Nacional sobre qualquer mudança. Meu mandato à frente do PSDB está prorrogado até o próximo ano, mas eu não sou o dono do partido. Tenho muita consciência disso. Enquanto eu não receber qualquer comunicado oficial da Nacional sobre isso, sigo atuando para fortalecer o partido visando o pleito de 2022”, enfatizou.

SENADO OU GOVERNO

Eduardo Amorim reafirmou sua pretensão de disputar um cargo majoritário nas eleições 2022. “Estou trabalhando neste sentido. A situação da saúde na pandemia mostrou que minha missão na política ainda não acabou, especialmente em prol da Saúde. Portanto, estou sim pré-candidato ao Senado. Quanto às especulações de definição de apoio a candidato ao governo, não fechei questão com ninguém, até porque ainda é cedo. Seguirei aberto ao diálogo com todos e, mantendo a coerência e ouvindo o grupo, decidir qual caminho seguir em 2022”, afirmou. Em relação à falta de UTI para Covid-19 no Hospital Regional de Itabaiana, o médico afirmou que é possível e necessária a ampliação para abertura dos leitos. “Espaço físico tem. Há ao lado do hospital um Centro de Especialidades, construído em nossa gestão à frente da Secretaria de Estado da Saúde, que poderia ser remanejado para outro local e, desta forma, ampliar a unidade com a criação dos leitos de UTI, garantindo mais resolutividade. Inclusive, utilizando também todo o quarteirão ao redor, como fez o Hospital de Cirurgia. Espaço tem, mas é preciso boa vontade para tornar isso realidade”, ressaltou.

CEASA E HC

Ao ser questionado sobre a situação da Ceasa de Itabaiana, Eduardo Amorim lembrou que sua primeira emenda de bancada enquanto deputado federal foi para a construção do prédio. “Entendia que não cabia mais no Centro da Cidade aquele trânsito de caminhões para carregar e descarregar. Itabaiana tem essa vocação para o comércio na feira, recebendo feirantes de vários cantos do estado. Portanto, era necessário esse centro de distribuição mais apropriado, uma ideia espetacular e que sempre defendi. Infelizmente, se ainda não está funcionando é por conta da política atrapalhando. É triste ver isso”, frisou. “Faço aqui um paralelo com o Hospital do Câncer de Sergipe. Este ano completam dez anos da primeira emenda que destinei para a construção, mas até o momento, mesmo com recursos garantidos, nada foi construído. Estamos acompanhando a grande necessidade de UTIs, e este seria mais um espaço para abertura destes leitos”, finalizou.




Tópicos Recentes