POLÍTICA

04/05/2021 as 00:50

Quem “politizou” o “lockdown” agora será cobrado pelo desemprego e a fome

Quorum

Política
Por Habacuque Villacorte
<?php echo $paginatitulo ?>

“Política é como nuvem! Você olha e está de um jeito; olha de novo e ela já mudou”! É histórica a expressão de Magalhães Pinto, e bastante atual! Em 2020 e até o início desse ano o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), foi duramente criticado por setores da “grande mídia” e da oposição por não apoiar o movimento de governadores e prefeitos municipais que, graças ao Supremo Tribunal Federal (STF), impuseram medidas restritivas de convivência como “lockdown” e “toque de recolher”, com o discurso que minimizariam os casos de infectados e mortos pelo vírus.

 

O problema é que vivemos em um País extremamente desigual, que convive com distúrbios socais há séculos, e essas medidas restritivas só aumentaram o sofrimento do povo brasileiro. Quem se posicionava a favor da economia, pedindo equilíbrio nas decisões governamentais, era “batizado” de “genocida”! Quem não ouviu a expressão: “mortos não trabalham e nem pagam contas”; diante de tanto pavor por parte das pessoas, até pelo fato de ser uma ameaça desconhecida (vírus novo), houve quem usasse esse discurso por puro “oportunismo”...

 

Era fácil ouvir outra frase: “economia a gente vê depois! Pois é, chegou a hora! A pandemia ainda não acabou, os números de infectados e mortos, após mais de um ano, ainda assustam e muito, e quem “politizou” lá atrás defendendo o toque de recolher e até o lockdown, agora parece já não suportar a realidade! O desemprego que já era alto, agora é assustador! O governo, mesmo sendo tão criticado, vem se esforçando desde o ano passado para preservar milhões de postos de trabalho. Mas nada disso parecia importante para alguns setores, infelizmente.

 

Agora, à beira do “caos social”, quando em alguns momentos mais parecemos uma “Venezuela”, com famílias famintas e desabrigadas, sem emprego e tomando filas para pegar algum alimento; os sinais de trânsito estão tomados! Famílias inteiras estão jogadas nas ruas, sem assistência, sem dignidade, sem teto...se a crítica é sempre muito contundente sobre a “falta de planejamento” do governo federal em comprar e distribuir vacinas, o silêncio parece “abissal” das autoridades que impuseram medidas restritivas e, praticamente, “quebraram” setores da economia.

 

Sábado, dia 1º de Maio, uma data que tem todo o simbolismo, que reúne os trabalhadores, que é uma referência das Centrais Sindicais, Movimentos Social e até legendas da Esquerda. Todos foram “engolidos” – que ironia – por multidões “aglomeradas” de trabalhadores de todas as classes sociais, exigindo liberdade de ir e vir, soberania nacional, defendendo não apenas um governo, mas cobrando a “fatura” de quem tanto impôs medidas como toque de recolher e lockdown; essas pessoas agora querem seus empregos de volta! Querem seus negócios de volta!

 

O desemprego associado com a fome estão impondo uma “derrota acachapante” no medo! Em tempo, somos, talvez, já a quarta nação que imuniza em números absolutos! A pressão é tamanha que governadores e prefeitos perderam o discurso, começaram a “afrouxar”, não conseguem mais “prender a população”; este colunista já dizia: “se o povo descer o morro, não tem quem segure”! Há uma mudança de cenário, de postura, de leitura do momento! Ah Magalhães Pinto! Quem “politizou” o “lockdown” agora será cobrado pelo desemprego e a fome! Mudou muito rápido...

 

Veja essa!

Não bastassem os desmandos ocorridos na gestão anterior no município de Santa Luzia do Itanhy, conforme amplamente divulgado pela imprensa sergipana, chegam para este colunista informações que, com menos de 100 dias da atual administração, os desmandos e improbidade praticados pela atual gestão já se equiparam tranquilamente aos quatro anos da gestão anterior.

 

E essa!

A coluna não tem “preferência política” e irá acompanhar de perto as investigações que parecem ser bem pertinentes da má conduta da administração anterior. No entanto não irá silenciar e nem ficará inerte com relação à bagunça que está sendo praticada com os recursos públicos do município atualmente por um gestor que já tem problemas com a justiça e tenta esconder seus malfeitos com “pareceres” de comissionados!

 

Bomba!

Assim como ocorreu com a gestão anterior, não custa lembrar que o DEOTAP, MPE e o TCE serão devidamente acionados para, pelo menos, coibir essas práticas inadequadas e que só trazem prejuízos para seus munícipes.

 

Alô Servidor!

Aconteceu uma audiência virtual entre o presidente da Asese, Iraldir Silva; o presidente do Banese, Helom Silva; a promotora de Justiça, Dra Euza Missano; o ouvidor-geral do Ministério Público Dr. José Carlos; além dos advogados Dr. Plínio Karlo (Asese) e Daniel Rosas (Banese).

 

Vai prorrogar!

Na audiência, o Banese confirmou que vai prorrogar por até quatro parcelas os empréstimos dos servidores públicos, independente deles terem sido beneficiados com a prorrogação ofertada em 2020. A proposta é que os servidores também serão contemplados.

 

Iraldir Silva

“O Banese solicitou um prazo de 10 dias para apresentar ao Ministério Público uma data para liberação dessa nova oferta e os detalhes da operação. É importante salientar que essa nova oferta, faz parte da lei 14.131, aprovada em 30 de Março, facultando às instituições Bancárias, ou seja, não tem correlação com o acordo pactuado que já está sendo cumprindo pela instituição”, explica o presidente da Asese, Iraldir Silva.

 

Atentado em Capela

Já passou da hora das autoridades responsáveis pela Segurança Pública de Sergipe tomarem as devidas providências para os absurdos que se repetem em Capela. Essa semana, o “detetive virtual” José Edirani Santos, que há algum tempo tem feito denúncias sobre indícios de irregularidades cometidas por gestores públicos, sofreu um atentado na porta de sua casa e, por muito pouco, não teve sua vida ceifada.

 

Cadê a SSP?

É fundamental que o secretário de Segurança Pública, João Eloy, atue com rigor, enviando um reforço policial para a cidade e apure o que está ocorrendo. Edirani é o segundo “crítico” de gestores públicos que é covardemente agredido em Capela. Ele foi surpreendido por dois homens encapuzados que o agrediram com um objeto de metal nas pernas. Para muitos foi um “recado”, uma tentativa de intimidação.

 

Tem que investigar!

Este colunista não vai responsabilizar ninguém sem poder provar, mas conhece Edirani e sabe que suas denúncias são sempre documentadas. Essa semana, por coincidência, ele teria externado algo sobre uma empresa, com baixo capital social, mas com contratos pomposos com administrações municipais e até com uma relação pessoal no “bolo”! Se a intenção foi intimidar Edirani, pelo visto não funcionou.

 

Olha o Covidão!

A coluna não vai entrar no mérito, mas precisa registrar que desde o ano passado, em especial durante a campanha eleitoral, que “fatos estranhos” se repetem em Capela. As abordagens policiais foram continuas e existem muitas denúncias de abuso do poder econômico. Existem também denúncias sobre o suposto uso indevido de verbas da COVID-19. Mas aí já será um assunto para a Polícia Federal investigar...

 

Olha Arauá!

Ao que tudo indica, o atual prefeito de Arauá trata-se de mais uma enganação dentre tantas já vivenciadas pelo povo daquele município! Eleito com a conotação do “novo” e diferente, na prática, usa os mesmos métodos “traiçoeiros” e “não recomendáveis” do seu grupo político, e em especial, os registrados na gestão da ex-prefeita. Sem contar as condutas “impraticáveis” realizadas por seu irmão!

 

Vídeo-bomba?

Na cidade já há quem diga que o atual gestor tem comportamento muito pior do que todos os seus antecessores. Um morador de Arauá ficou de apresentar, esta semana, um vídeo onde fica comprovada a falta de postura do atual gestor, que utiliza métodos “arcaicos” para não cumprir com suas obrigações administrativas. Em breve a coluna revelará “outras práticas” sobre a condução duvidosa do dinheiro público...

 

Exclusiva!

Segundo uma fonte muita muito bem informada da cidade de Arauá, um parente do atual prefeito já começou a usar de velhas práticas, na busca de “fornecedores”, para que participem de licitações do município com a garantia de que a empresa contatada será a vencedora do certame! Fala-se em áudios comprometedores, inclusive citando um advogado do município que ficará com a “responsabilidade” de deixar tudo bem “redondinho”! A “fonte” desabafa: “em Arauá tudo funciona assim; quando querem, removem montanhas”...

 

Georgeo Passos I

Em entrevista ao CINFORM ON LINE, o deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) avaliou que o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PDT), “sumiu” no combate à pandemia. “Com relação ao prefeito de Aracaju, a verdade é que nós praticamente não vimos a cara dele nessa pandemia! Principalmente nos momentos mais difíceis ele sempre jogou a bola para o governo, sendo que nós estamos falando do município com maior número de casos e vítimas infectadas”.

 

Georgeo Passos II

“No meu entendimento faltou ao prefeito de Aracaju atuar no momento mais oportuno. Agora ele vem com ações atrasadas que são verdadeiras ‘cópias’ de ações de outros municípios, como o auxílio emergencial, criado em várias cidades do Brasil. Eles fizeram para ajudar os setores mais afetados pela pandemia”, completou o deputado. Para complementar a crítica de Georgeo, se Edvaldo “copia” outras cidades, isso este colunista não confirma, mas que ele “copia” os decretos do “galeguinho” Belivaldo Chagas, isso ninguém pode negar...

 

Emília Corrêa I

Criado há mais de um ano, o Auxílio Municipal Emergencial (AME), só está sendo concedido aos aracajuanos (as) agora. Diante disso, a vereadora Emília Corrêa (Patriota) que avalia tanta demora como omissão, havia direcionado, para compensar, quatro emendas ao PL nº 74/2021, entre elas, a que ampliava a duração do benefício de 3 para 4 meses (uma única vez) se ainda estivéssemos e enfrentando a pandemia. Mas, todas foram rejeitadas durante votação.

 

Emília Corrêa II

“Caso tivesse sido aprovada, geraria uma despesa mensal de R$ 1 milhão, que seria custeada pela reserva de contingência, orçada em R$ 20 milhões para o ano de 2021. Nada fora do previsto. A população passou mais de um ano sendo massacrada. Estamos em um momento atípico. Em uma situação de calamidade, que exige ações efetivas e enérgicas dos gestores”, declarou.

 

Emília Corrêa III

Segundo a oposicionista, mesmo sendo bem-vinda vinda, por estar chegando tardiamente, o auxílio poderia ser mais abrangente. “Depois de tanto sofrimento, na hora de fornecer uma ajuda, que é sempre bem-vinda, é válido ressaltar, a prefeitura está economizando. Não consigo entender”, pontuou.

 

De R$ 200 para R$ 300

Ampliar o valor de R$ 200 para R$ 300 reais para famílias cujos dependentes possuíssem doenças graves, paralisia, doenças crônicas ou em estágio terminal, era o que previa mais uma das emendas rejeitadas. “Com 16 contrários e 6 favoráveis, às famílias com cônjuges, companheiro, filho ou dependente com doenças graves, como câncer, paralisia irreversível, Parkinson e Alzheimer, esclerose e HIV, afetadas exclusivamente no enfretamento da calamidade pública, não serão assistidas dessa maneira. Lamento pelo povo, sempre, mas não me surpreendo com o resultado da votação”, declarou.

 

CPI da Renascer I

Dando continuidade à análise do relatório conclusivo da auditoria nº 03/2021 (CPI) na Fundação Renascer, sob a coordenação do secretário de Estado de Transparência e Controle, Alexandre Figueiredo, a pedidos do governador Belivaldo Chagas, os técnicos confirmam o que foi dito aqui sobre a “imperícia” constatada na contratação da empresa Ankora.

 

CPI da Renascer I

Segundo o relatório da CPI na Renascer, a Ankora não cota em sua proposta a insalubridade e/ou periculosidade que são aplicados em todos os contratos da Fundação. Para este colunista, isso quebra a regra da isonomia, ponto que seria básico em qualquer licitação, ou na Renascer é diferente?

 

Olha o aditivo!

Alô Sr. Wellington! Se houve esse  procedimento “equivocado”, conforme consta no relatório da CPI, que inclusive gerou um termo aditivo de valor, por que o senhor não anulou o processo? Ou será que a justificativa será imputar a culpa no jurídico? Não precisa ser especialista para saber que qualquer ato detectado, que não supre as exigências legais, vira objeto de nulidade a qualquer tempo! Ou na Fundação há uma legislação específica?

 

1º de Abril

Apesar da data de assinatura do relatório acima ser de 1º de abril (Dia da Mentira), você sabia que o mesmo fala de “falta de planejamento, dentre outras condutas equivocadas das licitações da Fundação”? Agora, como perguntar não ofende, será que os técnicos da Secretaria de Transparência poderiam explicar qual a capacitação da Sra. Larissa? É que, apesar de não ser a presidente da comissão de direito, ela acaba sendo a responsável pela condução de todos os processos! Isso pode, Arnaldo?

 

Novos pregões!

Outra informação que vai chocar a sociedade sergipana: estão em andamento dois novos pregões na Fundação Renascer. Com os mesmos “vícios” já denunciados e “cantados em prosa e verso”! Tudo prestes a se repetir em um Estado que parece que não existe lei! Tem empresa trabalhando para ganhar a licitação apresentando preços sem cotar as exigências do edital e do projeto básico, com relação à periculosidade e insalubridade. Só que, no primeiro ato após a assinatura do contrato, vai requerer o aditivo de valor, chegando a ficar com um preço global maior do que outras concorrentes.

 

CPI ou pizza?

Consta no relatório de inspeção desta CPI na Fundação Renascer que foram tomados depoimentos de pessoas denunciadas, que ao serem interrogados, juraram amor à Constituição e zelo com a coisa pública. Essas pessoas foram inocentadas! Mas isso é parâmetro para a conclusão do relatório? Isso é suficiente de garantia de isenção? Todos que tiveram esse “privilégio” serão anunciados por este colunista, nas próximas publicações. Nos dias chuvosos, uma “pizza” sempre cai muito bem...

 

Luciano Bispo

O deputado estadual Luciano Bispo (MDB), foi entrevistado, no início da tarde da última sexta-feira (30), na SIM FM de Carmópolis, pelo radialista George Magalhães, quando falou sobre diversos assuntos, dentre eles a participação efetiva da Assembleia Legislativa em ajudar o governo do Estado no combate à pandemia do novo coronavírus (COVID-19).

 

André Moura I

Durante a entrevista, o ex-deputado federal André Moura (PSC), fez uma participação por telefone e fez um reconhecimento público da liderança de Luciano Bispo. “Sou grato aos elogios que recebi do presidente e deputado Luciano, que fez história enquanto prefeito de Itabaiana e que tem liderado o parlamento estadual neste momento difícil de pandemia”, disse, destacando o trabalho da Alese em reconhecer o Estado de Calamidade Pública dos municípios sergipanos.

 

André Moura II

Em seguida, André destacou que Luciano Bispo tem ao lado do governador Belivaldo Chagas a missão de preparar o Estado para o futuro, após esse momento difícil de pandemia. “Todos estamos dando nossa parcela de contribuição e logo em frente teremos um momento ainda mais difícil, de recuperação dos empregos, da economia e Luciano tem se posicionado como um grande líder nesse cenário complicado para todo mundo”.

 

Gratidão

Questionado pelo apresentador George Magalhães sobre as palavras do ex-deputado federal, Luciano Bispo demonstrou gratidão e também reconheceu: “André Moura é um apaixonado por Sergipe! Ele sobe no palanque melhor: Sergipe! Ele provou isso enquanto deputado federal, trazendo milhões e milhões de recursos para o nosso Estado, para os municípios, independente de quem era o prefeito da cidade, das questões políticas”.

 

Reconhecimento

Luciano Bispo disse que se já é uma grande responsabilidade comandar um parlamento com 24 deputados, muito maior é liderar um Congresso com 513 parlamentares. “Ninguém cresce à toa! Mas pelos serviços prestados ao seu povo! Pela desenvoltura do seu trabalho, do seu mandato. André demonstrou grande articulação e capacidade de convivência com 513 deputados, se tornando um grande líder nacional, tratando todos por igual. Imagine no meio de 81”, disse.

 

Não faz objeção

Por fim, Luciano foi questionado se estava lançando uma pré-candidatura de André Moura para o Senado dentro da base governista, e ele disse que “eu não posso lançar pré-candidatura de André! Agora se ele for, eu não faço nenhuma objeção! É evidente que sou um homem de grupo, vou ouvir Belivaldo Chagas (PSD), Jackson Barreto (MDB), Laércio Oliveira (PP) e Ulices Andrade, mas se André vem para somar, acho que é bom para todos. Ele perdeu uma eleição, mas continuou trabalhando. Isso é fundamental na vida pública”.

 

BR-101

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado estadual Zezinho Sobral (PODE), defende a continuidade e a conclusão das obras de duplicação da BR-101/Norte em Sergipe, pelo governo federal. para melhorar os Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) dos municípios da região do Baixo São Francisco.

 

Zezinho Sobral I

Para Zezinho esses investimentos nas rodovias refletem em mais investimentos para o turismo e para o desenvolvimento do Estado como um todo. “Não dá para trazer turistas em estradas ruins! A região do Baixo São Francisco é promissora, mas não se desenvolveu por falta de bons acessos e de boas estradas”.

 

Zezinho Sobral II

Nesse contexto Zezinho avalia como fundamental a obra de duplicação da BR-101. “O reflexo da duplicação da BR-101 será sentido no desenvolvimento econômico dessa região e do Estado. Esse atraso de 20 anos certamente refletiu nos municípios. Veja como o IDH do Baixo São Francisco é baixo”.

 

Celeridade

Para concluir, Zezinho Sobral entende que para tirar a região dentre os menores índices de desenvolvimento humano é preciso não apenas dar celeridade às obras de duplicação, como também melhorar os acessos. “Muitos trechos estão duplicados e entregues. Sigo acompanhando os avanços do DNIT e somando para que Sergipe cresça mais e mais!”.

 

Anderson de Tuca

O vereador Anderson de Tuca, do PDT, se reuniu com conselheiros do Conselho Regional de Psicologia, para conversar sobre um projeto que vem elaborando, para fazer um acompanhamento psicológico com pessoas que perderam suas famílias para a Covid-19. Foi um bate-papo produtivo e que gerou mais ideias para a complementação desse projeto. Além disso, foi expressado um apoio para que se concretize.

 

Joaquim da Janelinha I

Dando continuidade ao desmembramento da última reunião com o representante do Fórum de Audiovisual de Sergipe, Baruch Blumberg, que tratou sobre a aplicação da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, em Aracaju e ampliação dos prazos de execução dos projetos aprovados, o vereador Joaquim da Janelinha (PROS) presidiu mais uma reunião da Comissão de Educação, Cultura e Esportes da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), que teve a participação do presidente da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), Luciano Correia.

 

Joaquim da Janelinha II

Joaquim aproveitou a oportunidade para parabenizar o presidente Luciano e todos os envolvidos, por entre as capitais do país, Aracaju aparecer na sexta melhor colocação, com aplicação de 99% do total de recursos enviados através da LAB, que somam R$4.680.135, ficando atrás apenas de São Luis-MA (100%), Maceió-AL (99,9%), Manaus-AM (99,9%), Natal-RN (99,5%) e Rio de Janeiro-RJ (99,2%).

 

Contemplou os artistas

Luciano Correia explicou que a aplicação dos recursos foi gerida pela Funcaju e atendeu às diretrizes da Lei Aldir Blanc, de contemplar artistas de variados segmentos da arte. Ao todo, foram 562 contemplados pelos quatro editais lançados pela Funcaju. Para ele, o planejamento minucioso e da decisão de executar a lei Aldir Blanc dentro do prazo previsto, que era em 31 de janeiro passado, foi uma das peças-chave para o êxito, mas que para isso, foi montada uma força-tarefa, que trabalhou intensamente para que o recurso não fosse devolvido para à União. 

 

Ricardo Marques I

O vereador Ricardo Marques (Cidadania) apresentou, no início do mandato, uma denúncia no Ministério Público do Estado de Sergipe contra o Município de Aracaju solicitando providências em relação à retirada dos cobradores de ônibus de algumas linhas da capital e ao acúmulo de função dos motoristas do transporte público.

 

Ricardo Marques II

Na denúncia, o vereador justificou que além da responsabilidade de conduzir o veículo, os motoristas passaram a acumular funções, e, consequentemente, tal fato gerou transtornos à população aracajuana que depende desse meio de transporte. “Isso gerou atraso no percurso, pois o motorista precisa cuidar das cobranças da passagem, receber pagamentos, repassar trocos, dirigir e estar atento às paradas nos pontos de ônibus. Além disso, essa sobrecarga tem gerado filas tanto dentro do veículo, quanto nos terminais de integração, e, inevitavelmente, aglomerações”, justifica.

 

Veículo parado

Como resposta ao ofício encaminhado pelo Ministério Público, a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) disse que a cobrança é feita com o veículo parado, não recebendo, pelo motorista, nenhuma quantia enquanto conduz o ônibus.

 

Olha o MPT!

O Ministério Público do Trabalho (MPT) divulgou uma decisão requerendo a concessão de tutela de urgência a fim de que o demandado enquanto representante adequado e substituto processual de todas as empresas da categoria econômica de transporte público coletivo de passageiros do Município de Aracaju e da Grande Aracaju seja compelido a cumprir algumas obrigações.

 

Medidas

Dentre os pedidos do MPT, estão para as empresas de ônibus instalarem dispositivos para pagamento de passagem, com contador de valores em espécie (farebox) e/ou que possibilite a substituição do pagamento em espécie por meios eletrônicos, proibindo-se que o motorista receba dinheiro ou qualquer outro tipo de pagamento pelas passagens; além de instalar câmeras de monitoramento e/ou sensores de presença para auxiliar o motorista na verificação das portas do veículo, sendo emitido sinal sonoro e/ou visual para determinar sua abertura e fechamento de forma segura;

 

Multa diária

Em caso de descumprimento de cada obrigação supra, a fixação de multa diária correspondente a R$ 5 mil reais, incidindo até o efetivo cumprimento de cada obrigação. “Fico feliz pelo fato de o Ministério Público entender a gravidade do caso e ter emitido essa liminar. Não sou contra o processo de digitalização do sistema de cobrança do transporte público, mas da forma como foi feita estava claro que não atendia a sociedade de forma imediata e os maiores prejudicados foram os cobradores e motoristas”, comemora Ricardo Marques.

 

Gustinho Ribeiro I

O deputado federal e vice-líder do Governo, Gustinho Ribeiro, anunciou a chegada a Sergipe de 17 mil kits de testes para a Covid-19. O parlamentar sergipano conseguiu a liberação dos testes junto ao Ministério da Saúde. “Os especialistas afirmam que é muito importante que continuemos fazendo testes na população. Muitas pessoas são assintomáticas, por isso, faz-se necessário que mais testes sejam feitos. Agradeço ao Ministério da Saúde pela atenção com nosso estado”, afirmou Gustinho Ribeiro. 

 

Gustinho Ribeiro II

O kits serão distribuídos para os municípios da região Centro-Sul de Sergipe. Lagarto receberá 7 mil testes; Tobias Barreto ficará com 5 mil unidades; Riachão do Dantas receberá 3 mil kits; já para Salgado irão 1 mil testes e a cidade de Simão Dias receberá também 1 mil unidades.

 

Luto – Chico Pinto I

A coluna externa forte pesar pelo falecimento de um cidadão simples, mas um profissional dedicado e que parecia gostar muito do que fazia: o radialista José Francisco Menezes, o popular “Chico Pinto”, é mais uma vítima da COVID-19. Ele estava internado no Hospital da Unimed, na capital, e não resistiu, infelizmente.

 

Luto – Chico Pinto II

Durante sua passagem pela Rede Jornal de Comunicação, este colunista também atuou ao lado de Chico Pinto em alguns momentos. Sua última atividade profissional foi na Câmara Municipal de Aracaju. Um verdadeiro “guerreiro” da comunicação, mais um apaixonado pelo rádio sergipano. Fica a solidariedade aos amigos e familiares.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

 

 

 




Tópicos Recentes