22/09/2021 as 05:26

O pau comeu na CPI da Covid

Denuncias de engavetamento, fizeram a tensão subir aos mais altos níveis na CPI

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

Em um momento de grande tensão na CPI da Covid, o ministro da CGU (Controladoria-Geral da União) Wagner Rosário afirmou que a senadora Simone Tebet (MDB-MS) estava "descontrolada", dando início a um grande bate-boca. A sessão acabou suspensa por cinco minutos pelo senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente do colegiado. Tebet falou sobre diversos pontos de relatórios da CGU que foram analisados pela comissão, indicando omissão do órgão. Disse que o ministro era um "engavetador". Ao responder, Rosário afirmou que havia uma série de inverdades. "Bem, senadora, com todo o respeito à senhora, eu recomendo que a senhora lesse tudo de novo, porque a senhora falou uma série de inverdades aqui", afirmou.

Tebet então rebateu que ele poderia apontar que ela disse inverdades, mas não poderia ordenar que ela relesse, dar ordem para uma parlamentar. "A senhora me chamou de engavetador. Me chamou do que quis", disse o ministro. "A senhora está totalmente descontrolada", completou. O senador Otto Alencar (PSD-BA) então defendeu a senadora e chamou o ministro de "moleque", aumentando a confusão. Todos os senadores então cercaram a mesa principal da comissão, em uma grande discussão. Omar Aziz, que estava sentado, levantou-se rapidamente e partiu em direção ao ministro Rosário, com dedo em riste. Rosário então colocou as mãos em seu ombro, em sinal de apaziguamento. Em outro foco da discussão, o líder do governo, Fernando Bezerra (MDB-PE), tentou retirar Otto da discussão, mas foi repreendido por Rogério Carvalho (PT-SE). Os dois também seguraram os braços do interlocutor, em uma discussão ríspida.

LAGARTO

O deputado estadual Ibrain de Valmir (PSC), acompanhado do seu pai, o ex-prefeito de Lagarto, Valmir Monteiro, esteve na sede do Governo de Sergipe, onde foram recebidos pelo governador Belivaldo Chagas e o secretário de Estado Geral de Governo, Felizola Filho. A reunião teve como pauta, Lagarto e a região Centro-sul do nosso Estado. “Em conversa totalmente agradável, solicitei que Lagarto continue sendo um canteiro de obras, através de calçamento em varias áreas do município, tanto na zona urbana, como também na zona rural.”, disse Ibrain. Aproveitando a visita, Ibrain fez questão de solicitar a revitalização da Rod. SE-265, que liga Lagarto a cidade de Itaporanga. “Outro pedido feito, foi que seja dado celeridade na nossa indicação de número 306/2019, que solicita a revitalização da Rodovia SE-265, que liga os municípios de Lagarto a Itaporanga d’Ajuda, com destaque para os trechos que passam pelos povoados Gravatá, Sapé, Brasília, Jenipapo, e Estancinha”. Em publicação nas redes sócias, o parlamentar agradeceu a cordialidade e reafirmou seu apoio a pautas que tragam melhorias para a população. “De antemão, quero agradecer ao Governador Belivaldo Chagas e ao secretário Felizola Filho pela recepção e atenção com nossas demandas. Sabemos que existem muitas coisas ainda a serem feitas no nosso Estado, por isso, reafirmamos nosso apoio em contribuir da melhor forma com aquilo que venha ajudar a nossa população”.

O RESTO É BALELA

O encontro do presidente brasileiro Jair Bolsonaro com o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, não poderia ter sido mais agradável. Os dois celebraram a parceria de sucesso entre Fiocruz e a universidade de Oxford no desenvolvimento e aplicação da vacina contra covid. “Grande vacina”, disse o premier após Bolsonaro citar o laboratório AstraZeneca. Johnson lembrou que Bolsonaro foi um dos primeiros chefes de Estado a ligar para cumprimenta-lo quando assumiu o cargo e que só não cumpriu a promessa de vir ao Brasil por causa da pandemia. “É uma pena”, disse Johnson. O premier também afirmou categoricamente que “vamos fazer muito mais coisas juntos daqui para frente”, indicando que a parceria tem tudo para continuar, não apenas na área médica.

DISCURSO DE ABERTURA

Seguindo a tradição instituída em 1947, o presidente brasileiro é o primeiro orador na abertura da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Bolsonaro inaugura seu discurso informando que o país completa dois anos sem casos de corrupção e que ele apresenta “um novo Brasil com sua credibilidade comprovada em todo o mundo”. Bolsonaro afirmou que a política econômica de seu governo tornou o país um celeiro para bons investimentos. “Temos tudo que o investidor procura […] o Brasil é, hoje, um dos melhores destinos para investimentos”.. Dentre os pontos abordados por Jair, a política ambiental de redução de emissão de carbono, que é compromisso mundial da COP, ganhou destaque na fala do presidente. “Reduzimos de 2060 para 2050 a neutralidade de emissão de carbono na atmosfera”. Jair Bolsonaro ainda cobrou um posicionamento consciente e diligente dos demais países que são grande produtores. “Esperamos que os países industrializados cumpram o compromisso de reduzir a emissão também”.

STF

Em defesa da nomeação de André Mendonça a uma das cadeiras do STF (Supremo Tribunal Federal), importantes líderes evangélicos subiram ainda mais o tom contra o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) que tem travado a sabatina do ex-ministro de Jair Bolsonaro. Os evangélicos redobraram a ofensiva na última semana. Em mensagens que fizeram chegar ao gabinete de Alcolumbre, líderes religiosos dizem que vão se mudar para o Amapá em 2022 para impedir a reeleição do senador. E que podem inclusive lançar um candidato evangélico. Na última semana, evangélicos estiveram em reuniões com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e com Bolsonaro. Este indicou que não pretende abrir mão da indicação de Mendonça. A avaliação de aliados do presidente é que, apesar das resistências no Senado, Bolsonaro não retira o nome de Mendonça justamente porque teme perder o apoio do segmento que ajudou a elegê-lo em 2018. Alcolumbre também contou com o apoio de líderes evangélicos para se eleger, em 2014. Um deles foi o pastor Guaracy Júnior, da igreja Quadrangular do Amapá, que agora critica o senador pela demora em marcar a sessão da CCJ do Senado, a primeira fase de avaliação da indicação de Mendonça.
"Estou vendo Davi se desgastar com o público evangélico. Ele, que já está com rejeição muito grande no Amapá. Penso que ele não se reelege mais", disse Guaracy à reportagem. O pastor afirmou ter recebido Alcolumbre em sua igreja diversas vezes durante a eleição de 2014. Para ele, o senador estaria descumprindo um compromisso com os evangélicos, que agora se sentiriam traídos. Guaracy disse ainda ter tentado ligar, mais de uma vez, para Alcolumbre, sem sucesso. O senador não teria respondido às suas chamadas. O pastor afirmou também que será candidato no próximo ano, mas disse não saber a qual cargo. O pastor Silas Malafaia reforça a posição de Guaracy. "[Alcolumbre] sempre teve os evangélicos aliados no estado. Não vai querer ter essa gente contra ele. Ele é um cara muito inteligente, acredito que já já vai entender isso", disse Malafaia à reportagem.

EMÍLIA, EMÍLIA, EMÍLIA

A notícia que o Ministério Público Federal (MPF) processou criminalmente sete pessoas, entre elas, funcionários da Prefeitura de Aracaju (PMA) e empresários, por fraude na licitação e desvios de recursos públicos na construção e manutenção do Hospital de Campanha (HCamp) tem sido repercutida, a vereadora Emília Corrêa (Patriota) que fez questão de pontuar a gravidade da situação no Legislativo Municipal, se diz surpresa com o ‘silêncio’ por parte da bancada governista. “É impressionante como as coisas acontecem. Um assunto gravíssimo de denúncia do MPF. Envolvimento de sete pessoas da PMA. E, o que gente percebe, é uma agenda de pautas positivas quando, ninguém menciona o assunto, quando, na verdade, esse deveria ser o mais importante porque diz respeito à saúde, ao dinheiro do povo, pois foram recursos federais que vieram para serem destinados para salvar vidas. É inacreditável”, declarou Emília. A oposicionista, que foi uma das primeiras a apontar as possíveis irregularidades após fiscalização ainda no ano passado, relembrou que fez vários vídeos e, os divulgou em suas redes sociais. “Desde o ano passado a gente vem falando sobre essa questão, sobre essas possíveis irregularidades, inclusive, através de vídeos divulgados em minhas redes sociais. Estive, no mínimo, quatro vezes no HCamp mostrando para o povo de Aracaju aquela realidade. O Ministério Público Estadual (MPE/SE) até também esteve presente, mas, segundo eles, não havia ilegalidades. O que foi uma surpresa para mim, porque estava tudo muito claro. O dano causado aos cofres públicos é estimado em R$ 777,2 mil. Esse assunto é muito sério e tem que ser trazido”, afirmou. A vereadora concluiu sua fala parabenizando o MPF. “Não estamos mais falando de pessoas indiciadas, como eu ouvi alguns profissionais da imprensa se referindo, elas foram processadas. Já existem provas. Interceptações de conversas. Tem funcionário que deveria ter sido afastado e ainda permanece no quadro da prefeitura. Mas, o MPF é uma instituição séria e a gente espera que vá adiante. Que os culpados sejam devidamente penalizados”, concluiu.

MIROU EM LULA

O ministro do Turismo, Gilson Machado, criticou a maneira como a imprensa descreveu a postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em seu discurso na ONU (Organização das Nações Unidas). De acordo com a imprensa brasileira e estrangeira, o presidente apresentou um País que não condiz com a realidade. Para o ministro, no entanto, a imprensa foi quem não retratou de maneira correta o discurso de Jair Bolsono. A caminho do memorial ao Onze de Setembro junto com a comitiva brasileira, o ministro disse que o mais importante é que a comitiva brasileira convidou representantes da ONU para visitar o Brasil e conhecer questões como a preservação ambiental. "Se a gente tivesse alguma coisa para esconder, não teríamos convidado ninguém", disse Gilson Machado, em um vídeo divulgado por ele. "O que os nossos olhos veem é muito diferente do que a imprensa nos conta", complementou o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), um dos integrantes da comitiva brasileira. "Você que quer conhecer o Brasil, vá no Brasil antes de falar qualquer coisa sobre o país da gente", criticou o ministro, se referindo ao teor das reportagens de jornalistas estrangeiros. O jornal americano "The New York Times" destacou o tom "desafiador" do presidente brasileiro ao rebater críticas sobre seu governo. A reportagem também deu ênfase ao discurso favorável de Bolsonaro para o uso de medicamentos não eficazes contra a Covid-19 e a forma com que ele lidou com a pandemia no país. O site do jornal americano "The Washington Post" relembrou as falas de Bolsonaro contra a vacinação e disse que ele parece ter quebrado o "sistema de honra" das Nações Unidas para a vacinação. O jornal argentino "Clarín" publicou em seu site que o presidente brasileiro "mirou contra [o ex-presidente] Lula em seu discurso para a ONU" ao dizer que o Brasil estava "à beira do socialismo".




Tópicos Recentes