MUNDO

26/06/2020 as 13:03

Chile inaugura primeira escola latino-americana para transgênero

A mãe de um menino transgênero decidiu abrir uma escola especial e ganhou destaque no mundo

<?php echo $paginatitulo ?>

Evelyn Silva sentiu na pele  o que é ter um filho que não se sente bem no seu próprio corpo. E ciente das dificuldades que estas crianças sofrem, decidiu abrir uma escola única, só para crianças transgênero.

Conta a própria que foi a transição da sua filha Selenna que lhe mudou a vida. Por este motivo decidiu abandonar o seu trabalho e se dedicar ao ativismo. E em abril de 2018 decidiu abrir uma escola para transgênero, a escola Amaranta.

"Percebi que as crianças estavam abandonando a escola porque andavam stressadas, com problemas e sentiam-se invisíveis", afirma Evelyn, que tem como objetivo que a sua escola consiga transmitir o seu conhecimento a outras escolas e que os alunos do seu estabelecimento de ensino se sintam livres para ser eles próprios.

Em declarações à CNN, os alunos dizem que ao contrário do que acontecia noutros estabelecimentos de ensino, já não têm medo de ir para a escola, pois ali encontram pessoas que os entendem e com quem podem compartilhar os seus medos.

A Escola Amaranta é uma escola privada para alunos dos 6 aos 17 anos e o seu nome é uma homenagem a Amaranta Gómez Regalado, um político transgênero mexicano. 




Tópicos Recentes