31/03/2020 as 05:01

Bolsonaro diz que Estados não podem impor isolamento

O presidente disse tratar "da questão da doença, da preservação da vida e do emprego simultaneamente".

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a criticar as políticas de contenção à proliferação do novo coronavírus, defendida por governadores brasileiros, em especial, a recomendação de quarentena. Segundo Bolsonaro, em entrevista à Rede TV!, "não se pode impor isolamento como alguns Estados fizeram de forma quase eterna". "Parece que há interesse por parte de alguns governadores de inflar o número de vitimados do vírus. Daria mais respaldo pra ele, pra justificar as medidas que eles tomara", defendeu Bolsonaro. Para o presidente, há restrições a uma "quarentena maior que esta aí porque esse pessoal vai ter dificuldade para sobreviver". Bolsonaro disse tratar "da questão da doença, da preservação da vida e do emprego simultaneamente".

"O que o povo mais pede é para voltar a trabalhar", disse Bolsonaro relatando a conversa que teve com populares durante visita feita à Ceilândia (DF), no domingo. Segundo afirmou Bolsonaro, que desconsiderou as recomendações de isolamento defendidas pelo Ministério da Saúde: "Não houve nada preparado da minha parte para que houvesse gente na rua ontem." Bolsonaro disse que "se (a covid-19) fosse algo terrivelmente mortal para mim, talvez não estivesse na rua". Em entrevista à Rede TV!, o presidente afirmou que "o H1N1 foi muito mais terrível e não trouxe esse pânico para nós". Bolsonaro ainda lembrou do atentado em Juiz de Fora e disse: "Se o vírus pegar em mim, não vou sentir quase nada". "Fui atleta e levei facada", recordou. De acordo com o presidente, a estimativa é de que "pelo menos 60% da população vai contrair o vírus". "O que o governo está tentando fazer é que nem todos peguem ao mesmo tempo", disse.

MANIFESTO

“O Brasil não pode ser destruído por Bolsonaro”. É o título de um manifesto assinado pelos presenciáveis Ciro Gomes (PDT), Fernando Haddad (PT) e Guilherme Boulos (Psol), pelo ex-governador do Paraná, Roberto Requião (MDB-PR), pelo ex-governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, e pelos presidentes do PT, Gleisi Hoffmann, do PSB, Carlos Siqueira, do PDT, Carlos Lupi, do PCB, Edmilson Costa, Juliano Medeiros, do PSOL, Luciana Santos, do PCdoB.

TROCA TROCA

Uma ida já esperada nos bastidores acaba de se confirmar. O vereador Lucas Aribé trocou de partido e agora está filiado ao Cidadania. “Mudei por afinidade com o grupo e por ver no partido muitas ideologias com as quais concordo, a exemplo do combate ao preconceito e à discriminação”, explicou Lucas. Segundo o vereador, a expectativa é que o partido conquiste até quatro das 24 vagas em disputa para a Câmara Municipal de Aracaju, conta alta da gota a do vereador.

PRESERVAçÃO

O presidente da Confederação do Comércio em Sergipe (Fecomércio), deputado federal Laércio Oliveira (PP) se mostra preocupado com a chegada e possibilidade rápida de expansão do coronavírus. Mas, como representante de um segmento empresarial, também está fixado nas dificuldades do setor comercial, em razão de medidas adotadas para fechamento de lojas, supermercados, shoppings e todos os demais setores da área. Mira, naturalmente, numa recessão na economia, com a paralisação do comércio, o que atinge áreas de expressão, como pequenas lojas e a informalidade que sempre presente nesse segmento. Laércio defende que “empresas e empregos não sejam destruídos durante o período que durar essa crise. Não podemos deixar de também começar a planejar uma retomada gradual das atividades econômicas, visando, inclusive, dar suporte à manutenção dos serviços essenciais, que não conseguem funcionar de forma isolada”.

CUT

A importância de mais investimento para o Sistema Único de Saúde (SUS) foi motivo de protesto em todo o Brasil nas últimas semanas desde a chegada e o alastramento do Coronavírus (Covid-19) em território nacional.A população que está em isolamento social em suas residências fez questão de se manifestar para exigir mais investimento na saúde, assim como houve protesto pela valorização dos profissionais da saúde. Trabalhador do HUSE e dirigente sindical do Sindasse (Assistente Social), Anselmo Menezes alertou que a pandemia do Coronavírus no Brasil aconteceu em meio a um acúmulo de ações políticas para o desmonte da saúde pública. “Estes servidores do Estado que estão enfrentando a pandemia do Coronavírus nos hospitais públicos, postos de saúde e toda a rede de assistência estão há 7 anos com os salários congelados. Os servidores da Prefeitura de Aracaju estão há 4 anos com salários congelados. Nacionalmente o trabalhador vem sendo constantemente massacrado, desvalorizado nas questões trabalhistas e sofrendo perda de direitos”, explicou o dirigente sindical.

RECORDE

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada hoje (30) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mostrou que o total de famílias com dívidas no Brasil voltou a crescer em março, depois de um recuo em fevereiro (65,1%), atingindo 66,2%, maior taxa da série histórica iniciada em janeiro de 2010. O recorde havia sido registrado em dezembro do ano passado (65,2%). “O resultado extrapolou o percentual de dezembro e registrou o maior nível da série histórica”, disse à Agência Brasil a economista da CNC, responsável pela pesquisa, Izis Ferreira. Ela avaliou que a pandemia de coronavírus vai contribuir para elevar o grau de endividamento das famílias nos próximos meses e, também, a inadimplência.

LICITAÇÃO

A prefeita de Lagarto, Hilda Ribeiro, contrariando o percurso emergencial de saúde no enfrentamento ao coronavírus (Covid-19) no Brasil, pretende gastar R$ 6 milhões com aluguel de máquinas na próxima quarta-feira, 1° de abril. O ex-deputado federal, André Moura, por meio de emenda de bancada, destinaram diversos equipamentos e maquinários semelhantes à Prefeitura, como patrol e caçambas novas que estão na garagem municipal. Por conta disso e da falta de prioridade para o momento, o Ministério Público recomendou o cancelamento da licitação. No entanto, no portal da transparência do município, o pregão presencial está em andamento.




Tópicos Recentes