25/11/2021 as 18:19

Meu relógio está ajustado com o do governador, afirma Edvaldo

Edvaldo afirmou tambem que tem o sonho de governar o estado.

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

Gestores e gestoras de todo o país estiveram reunidos nesta quinta-feira, 25, em Aracaju, durante o primeiro dia da 81ª Reunião Geral da Frente Nacional de Prefeitos (FNP). O evento, que marca o retorno presencial das atividades da Frente, desde que a pandemia foi decretada, tem como foco discutir os temas que são considerados prioritários para os municípios brasileiros, a exemplo da reforma tributária, o financiamento do transporte público, os investimentos na Saúde e na Educação pós-pandemia, entre outros. O evento contou com mais de 350 participantes, com grande presença de prefeitos, vice-prefeitos e secretários municipais. Prefeitos de várias regiões de Sergipe  e de outros estados participaram do primeiro dia da reunião.Consegui na abertua do evento uma palinha com o prefeito de Aracaju Edvaldo Nogueira (PDT), o prefeito todo serelepe, não se furtou a responder nenhuma das peguntas formuladas por este colunista. Confira os principais trechos da entrevista.

Perguntei ao prefeito, quais os objetivos da 81º reunião da Frente Nacional dos Prefeitos , Nogueira disse, que o objetivo da Reunião é fazer um balanço do ano de 2021 e traçar metas para o futuro do municipalismo brasileiro. O combate a pandemia, transporte coletivo e financiamento da saúde pós-pandemia serão temas que também serão debatidos na Reunião Geral. Na Reunião também haverá a posse do CONECTAR, consórcio ligado a FNP que engloba mais de 2 mil municípios. Questionei Edvaldo sobre a abertura do turismo da capital sergipana, o prefeito afirmou que é muito difícil que tenha festa de réveillon organizada pela Prefeitura de Aracaju, já que seria necessário que 90% da população estivesse vacinada com duas doses, o que não deve ocorrer. Mas confirmou que hotéis, bares e festas privadas estão autorizados a realizar eventos na virada do ano. Nogueira afirmou que irá cumprir seus compromissos de campanha e enviará o Plano Diretor de Aracaju até o ano que vem. Também garantiu a licitação do transporte coletivo da capital. Sobre as Eleições de 2022, Edvaldo Nogueira disse: "eu tenho o sonho de governar meu estado". Mas afirmou que quer ser o nome de consenso do grupo, elogiou os outros 3 nomes da coligação e que seu "relógio está ajustado com o de Belivaldo Chagas" e que o governador que comandará a decisão da escolha.

COM FÁBIO

O presidente do PSD, Gilberto Kassab, declarou que deseja o nome do deputado federal Fábio Mitidieri como representante da sigla para concorrer ao governo de Sergipe nas eleições do próximo ano. A declaração aconteceu durante o encontro nacional do partido, em Brasília. O líder nacional do PSD pediu para o parlamentar saudar os presentes como o representante do governador Belivaldo Chagas no evento. No palco, o deputado federal Fábio Mitidieri cumprimentou a todos e ressaltou ao atual presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que ele “representa a esperança de um Brasil melhor, menos polarizado. O evento do PSD serviu para o partido discutir uma agenda do programa para 2022. No encontro também tiveram atividades do PSD Jovem e o Encontro Nacional do PSD Mulher. No encontro, Gilberto Kassab voltou a reforçar o convite para que Pacheco dispute a presidência. “Quero ter a honra de formalizar aqui o convite para que você (Pacheco) seja o nosso candidato à presidência da República nas eleições de 2022”, disse Gilberto Kassab. Pacheco agradeceu o convite ressaltando que a resposta será dada em um momento oportuno e lembrou que o Brasil possa se submeter a uma mudança tranquila. O presidente do Senado afirmou que a economia brasileira está “contaminada” e a educação é uma bandeira que precisa ser mais inclusiva, principalmente na defesa do meio ambiente. “Que esse movimento do PSD possa ser interpretado como uma contribuição do partido a democracia brasileira. Vamos construir uma proposta”, concluiu Rodrigo Pacheco.

AUXÍLIO EMERGENCIAL

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (25) a Operação Parcela Baiana, que tem como alvo o combate a fraudes ao Auxílio Emergencial, pago pelo governo federal à população carente por causa da pandemia de Covid-19. A ação é conjunta com o Ministério Público Federal, Ministério da Cidadania, Caixa, Receita Federal, Controladoria-Geral da União e Tribunal de Contas da União, instituições que participam da Estratégia Integrada de Atuação contra as Fraudes ao Auxílio Emergencial. Na manhã de desta quinta-feira (25), policiais federais cumprem as medidas judiciais em Salvador e em Coração de Maria, também na Bahia. São três mandados de busca, quatro mandados de afastamento de sigilo bancário e quatro mandados de sequestros de bens, que resultaram em um total de R$ 200 mil bloqueados por determinação judicial. As prisões temporárias não foram deferidas pela Justiça Federal. Os fatos estão sendo apurados em três inquéritos policiais distintos, instaurados com base em trabalhos de análise e inteligência realizados por equipe especializada da Polícia Federal, a partir de processos de contestação oriundos da Caixa Econômica Federal. “No aplicativo Caixa Tem da Caixa Econômica Federal, aproximadamente 90 contas do Auxílio Emergencial foram fraudadas, sendo transferidos imediatamente os valores depositados para contas vinculadas aos fraudadores e também para pagamentos de boletos bancários emitidos pelos próprios suspeitos, resultando em um prejuízo superior a R$ 90 mil”, informou a PF em nota. Segundo as autoridades, a fraude deve ser muito maior, na medida em que os dados se referem a curtos períodos analisados, de no máximo 14 dias, entre maio a setembro de 2020, e apenas àquelas fraudes contestadas pelas vítimas. Somente com o prosseguimento das investigações, observou a PF, será possível determinar o montante exato do desvio, bem como a eventual participação de outras pessoas. 

CORPO, ALMA, MENTE E CORAÇÃO

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse que responde "de corpo, alma, mente e coração" ao chamado do presidente do PSD, Gilberto Kassab, para concorrer ao Palácio do Planalto. No lançamento do manifesto do partido, ontem, em Brasília, com mais de mil filiados — prefeitos, deputados e governadores —, ele comentou que o país vive um momento de extremismos e que é necessário prestar o serviço à nação "com seriedade, sensatez, serenidade, equilíbrio e ações efetivas, para além do discurso". "Fazer do discurso a prática", acrescentou. Pacheco criticou eleitores do presidente Jair Bolsonaro. "Revelar amor ao Brasil não é colocar uma camisa da Seleção Brasileira e sair na rua xingando o Supremo Tribunal Federal e o Congresso Nacional", reprovou. Ele também acenou para o mercado financeiro ao dizer que o Brasil precisa de tratamento para se reerguer em fundamentos econômicos. Mesmo prestes a assumir a pré-candidatura pelo partido, o senador criticou o self-service de quem se coloca como presidenciável neste momento. "O Brasil, neste instante, não precisa de candidatos a presidente da República, como os muitos que estão se apresentando. O Brasil precisa de homens e mulheres cientes de suas responsabilidades em 2021 para enfrentarmos problemas reais, que envolvem precatórios, Bolsa Família, responsabilidade fiscal e geração de empregos", frisou. O parlamentar pregou a pacificação e a união nacional para enfrentar os desafios que o país exige. "Ninguém é dono da verdade ou tem o dom da solução de todos os problemas, como se houvesse um passo de mágica. Essa é uma construção que é feita com paciência, com equilíbrio, passo a passo, reconhecendo que diversos outros partidos, ainda que com pensamentos ideológicos diferentes do nosso, podem contribuir com alguma solução." Na opinião de Pacheco, "diversos problemas seriam plenamente evitáveis se fizéssemos da política aquilo para o qual ela existe, que é buscar solução para a vida das pessoas, a partir de uma democracia que permita a convivência das divergências". "O que estamos vivendo hoje é um radicalismo, um extremismo, uma cultura de ódio, que está acabando com o Brasil", disse. "Problemas batem à nossa porta, como a inflação, o desemprego, a alta dos juros, a desvalorização da moeda, as crises hídricas e energéticas, uma violência que nos assola. É muito difícil nós fazermos um caminho de solução desses problemas sem um planejamento sereno, equilibrado e que possa ouvir todas as vertentes."

MULHER DEMOCRATAS DE SERGIPE I

O Mulher Democratas está de braços abertos e será um parceiro na formação política para que as suas lideranças femininas possam vir a ter candidaturas de peso e de grande valor para a sociedade”. A afirmação é da senadora Maria do Carmos Alves (DEM), feita nesta manhã (25/11) no Encontro Estadual de Lideranças do Mulher Democratas de Sergipe. O evento faz parte das estratégias do DEM Mulher para incentivar o protagonismo do gênero na política partidária. “Agradecemos a todas essas mulheres maravilhosas, sergipanas aguerridas, que estiveram conosco discutindo sobre mais espaço e maior representatividade feminina na política”, ressaltou a senadora, ao acrescentar que eventos, a exemplo desse, que buscam incentivar uma maior representatividade feminina na política são muito importantes para as mulheres “porque, em ambos os casos, lutamos pela igualdade de direitos e de oportunidades”, frisou. Segundo a senadora, todas as mulheres que estão envolvidas na política devem estar cada vez mais preparadas para assumirem seus postos. E, para isso, é preciso que elas cobrem dos partidos uma formação política adequada, porque além do espírito nato de liderança é necessário conhecer temas que são do interesse da coletividade, para que suas posições, propostas e ações possam resultar em benefícios para a sociedade.

MULHER DEMOCRATAS DE SERGIPE II

“Eu me sinto orgulhosa de estar entre as mulheres pioneiras na política e nos negócios sergipanos. Assumi as empresas da família quando João (esposo e ex-governador de Sergipe, in memorian) resolveu entrar para a política. Eu tinha acabado de me formar em Direito, mas abracei esses desafios. Comandei empresas dos ramos de hotelaria, comunicação e construção civil, atuando em três Estados diferentes”, contou. Maria do Carmo Alves é a única brasileira a exercer três mandatos consecutivos como senadora da República, em um cenário de sub-representação da mulher. Uma vez que dos 81 senadores eleitos para o quadriênio de 2019 a 2023, apenas 14 são mulheres. “Confio muito na contribuição que a mulher tem para dar ao setor produtivo, na gestão de negócios de todos os tamanhos”, afirmou. A senadora democrata lembrou que teve uma experiência muito positiva no terceiro governo de João Alves, com a implantação do Banco do Povo. “Pois criamos um programa de microcrédito que realizamos em parceria com o Banese, oferecendo subsídios a pequenos investidores que não tinham condições de conseguir os mesmos empréstimos junto aos bancos tradicionais. Tivemos a feliz surpresa de ver que a maioria dos créditos foram concedidos a mulheres”. “As mulheres precisam de oportunidades para que possam dar vazão aos seus grandes potenciais, seja na política, seja na geração de negócios. E espero que muitas mulheres possam hoje serem inspiradas a esses desafios e que se sintam motivadas a assumir esse protagonismo em suas vidas e na condução de sua comunidade”, ressaltou Maria do Carmo Alves.

VIDA CHEGANDO

O vereador Fábio Meireles (PSC) utilizou a Tribuna na manhã desta quinta-feira, 25, para destacar as obras de drenagem e pavimentação na Zona Norte da capital, realizadas pela Prefeitura de Aracaju. Ao exibir fotos de uma visita que fez para fiscalizar as obras da Rua Alagoinha, na Zona Norte de Aracaju, no bairro Cidade Nova, Fábio enalteceu o trabalho da Prefeitura naquela localidade. “Vida Chegando à rua Alagoinha. A população recebia lama e água suja dentro de casa. Isso existia antigamente. Hoje, está chegando paralelepípedo, saneamento, drenagem, calçada, respeito, amor. Não é possível ser o mesmo lugar”, ironizou. O parlamentar indagou e fez provocações ao discurso do colega de parlamento Ricardo Marques (Cidadania), que no início da semana fez críticas veementes a atual gestão municipal. “Isso é verdade, isso é atenção do Poder Público. Isso é o retorno do dinheiro público para o povo. Cadê os homens que gritam para reconhecer isso? Ontem, Ricardo, que é uma pessoa tranquila e serena, saiu do salto. Eu não acredito que a alegria do senador Alessandro Vieira e dos representantes do Cidadania nesta Casa seja a desgraça do povo”, alfinetou. “As mudanças estão acontecendo em Aracaju. Por mais que a oposição tente esconder, não vão esconder o que o prefeito Edvaldo Nogueira está fazendo em Aracaju. A verdade está nos bairros. A verdade dos fatos é que Aracaju está mudando. Esta semana trouxe relatos de benfeitorias em outras localidades e eu não vou parar até a oposição reconhecer o que Aracaju tem conquistado”, finalizou.

APROVADO

O Senado aprovou o projeto, PL 2564 de 2020, que estabelece um piso salarial nacional de R$ 4.750 mensais para enfermeiros. A proposta segue para análise da Câmara dos Deputados. O texto é de autoria do senador Fabiano Contarato (Rede-ES) e foi aprovado conforme versão sugerida pela relatora Zenaide Maia (PROS-RN). O projeto altera uma lei de 1986 que regulamenta o exercício da enfermagem no país. Atualmente a legislação não prevê piso para a categoria. De acordo com a proposta, o piso salarial valerá para enfermeiros contratados sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (os celetistas) e para servidores públicos da União, dos estados e dos municípios. O texto também define pisos salariais para técnicos de enfermagem (R$ 3.325), auxiliares de enfermagem (R$ 2.375) e parteiras (R$ 2.375). Os valores para esses profissionais são calculados em cima do piso para enfermeiros: 70%, 50% e 50% dos R$ 4.750 previstos no projeto, respectivamente. Conforme o texto, os pisos serão atualizados anualmente com base na inflação calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor. A proposta prevê a entrada do piso salarial em vigor imediatamente após a publicação, sendo assegurada a manutenção das remunerações e salários vigentes superiores ao piso. Inicialmente a proposta previa piso salarial nacional para enfermeiros de R$ 7.315 mensais. Para viabilizar a aprovação da proposta, a relatora Zenaide Maia acolheu emenda apresentada por Eliziane Gama (Cidadania-MA) que reduziu o valor em cerca de 35%. "Acatamos os valores propostos pela senadora Eliziane Gama, para o piso dos enfermeiros, com impactos para os demais profissionais da área. Parece-nos que R$ 4.750,00 é um valor bem razoável", disse Zenaide.

DURAÇÃO DO TRABALHO

Além disso, inicialmente a relatora havia definido na proposta que a duração do trabalho normal dos enfermeiros, dos técnicos e auxiliares de enfermagem e das parteiras não seria superior a 30 horas semanais, permitida a compensação de horários e a redução de jornada, mediante acordo ou convenção coletiva. Entretanto, Zenaide retirou essa previsão da proposta, uma vez que, segundo a parlamentar, essa jornada está sendo discutida em outro projeto em análise na Câmara. O piso salarial é uma reivindicação dos profissionais da área de enfermagem. O apelo aos congressistas foi intensificado durante a pandemia da Covid. Enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem foram ao Senado pedir voto a favor do projeto. Eles acompanharam a sessão em uma sala da Casa e comemoraram a aprovação do texto. Relatora da proposta, a senadora Zenaide Maia, que é médica, afirma que "nada justifica" a grande diferença salarial entre enfermeiros e médicos, uma vez que ambos possuem formação de nível superior. "Enquanto os médicos são disputados pelos prefeitos, os enfermeiros são tratados com remuneração aviltante", diz a relatora. Zenaide também refuta a ideia de que a definição de um piso salarial gerará um desestímulo à contratação de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem e parteiras. "Esse é um antigo argumento dos empregadores interessados em pagar baixos salários. Com remuneração digna, os profissionais poderão sobreviver com um emprego único, sem acumular cargos ou funções, e haverá mais empregos para todos", declara a parlamentar. Ao longo da sessão, vários senadores subiram à tribuna do Senado para manifestar apoio e homenagear os profissionais de saúde. Autor do projeto, Fabiano Contarato se emocionou durante discurso em defesa do projeto. Com a voz embargada, ele lembrou a morte de uma cunhada, técnica de enfermagem, que morreu vítima da Covid-19. "Eu não acho razoável você ir a uma unidade saúde e o alojamento, a área de descanso, para uma determinada categoria é de um jeito e para os enfermeiros é de outro. Enfermeiros dormindo nos corredores, não tendo EPI, expondo as suas famílias a todo tipo de sorte e pagando com as vidas, 777 enfermeiros perderam suas vidas. Qual o valor de uma vida humana? Quanto vale? Essa resposta temos que dar aqui no Senado", disse Contarato.

OLHOU PRO UMBIGO

O vereador de Tobias Barreto, radialista Gilson Ramos, parece não estar nada satisfeito em estar filiado ao MDB, não perdeu a oportunidade e fez duras críticas à presidente estadual do partido, Sérgio Reis. Em entrevista ao radialista Alex Carvalho, Gilson afirmou que “se o presidente me colocar pra fora do partido, corre sério risco de eu votar nele como gesto de gratidão”, ironizou o vereador. Ao ser questionado para qual partido ele desejaria se filiar, Gilson foi rápido na resposta, afirmando que “vou para qualquer um que tenha pouco ladrão”.

TCE

Por cinco votos a dois, o conselheiro Flávio Conceição foi eleito, nesta quinta-feira (25), o novo presidente do Tribunal de Contas de Sergipe (TCE), para o biênio 2022/23, cujo mandato começará a partir do próximo dia 1º de janeiro próximo. A eleição da nova Mesa Diretora ocorreu durante a 37ª Sessão Ordinária do Pleno, presidida pelo conselheiro presidente Luiz Augusto Ribeiro. Também foram eleitos os conselheiros Ulices Andrade, para o cargo de vice-presidente, e a conselheira Angélica Guimarães para o cargo de corregedora, ambos com vatação unânime dos seus pares. Após o encerramento da votação, Flávio Conceição agradeceu aos membros da Corte pela votação obtida e aproveitou a oportunidade para indicar o conselheiro Luiz Augusto Ribeiro para o cargo de ouvidor-geral e o conselheiro aposentado Carlos Alberto Sobral de Souza para diretor da Escola de Contas José Amado Nascimento.

 



Tópicos Recentes