05/03/2021 as 05:17

Remédio de Belivaldo é amargo mas necessário.

Governo estadual anuncia medidas duras contra o avanço da pandemia.

Política Online

Política
Por Ewerton Júnior
<?php echo $paginatitulo ?>

O governador Belivaldo Chagas (PSD) divulgou novas medidas restritivas para Sergipe, como a proibição de quaisquer eventos a partir dessa sexta-feira (5) até o dia 21 de março, além da suspensão do funcionamento de serviços não essenciais durante os dois próximos fins de semana. Com a determinação, as atividades de bares, restaurantes e similares serão proibidas entre as 18h da sexta-feira e 5h da segunda-feira subsequente, permitidos os serviços de delivery e retirada no local, entre 5 e 7 e 12 e 14 de março. As demais atividades não essenciais e especiais, como shopping, galerias e centros empresariais, não funcionarão nos dias 6 e 7, 13 e 14 deste mês. No período de restrição noturna, não poderá haver venda de bebidas alcoólicas e permitir aglomeração de pessoas. Até o dia 21, todas as atividades essenciais, não essenciais e especiais (ressalvadas as áreas de saúde e segurança), deverão ter ocupação máxima de 50% do local do estabelecimento. Os serviços não essenciais e especiais estarão proibidos de funcionar entre 22h de um dia e 5h do dia seguinte. O horário de funcionamento da administração pública não essencial será entre as 7h e 13h, com escalas de rodízio e manutenção do atendimento externo.

 

“Já a partir de amanhã vamos adotar medidas restritivas. Infelizmente os casos aumentaram e aumentaram bem. Nós tivemos aumento de óbitos, aumento na ocupação de leitos de UTI e enfermaria. Nós chegamos no início do ano a ter um ocupação de 317 pacientes internados, ontem nós fomos a 425. Os leitos de UTI e enfermaria da rede privada estão entrando em colapso. A rede pública está com ocupação de 60%. Mas qual o grande risco? Você, cidadão que tem plano de saúde, e recorre à rede privada, daqui a pouco não vai encontrar espaço e vai ter que procurar a rede pública”, disse Belivaldo Chagas. As medidas foram adotadas após uma reunião com o Comitê Técnico-Científico e de Atividades Especiais (Ctcae) para avaliar o cenário epidemiológico pós carnaval e a projeção para as próximas semanas. Elas serão publicadas no Diário Oficial do estado dessa sexta. Sobre as aulas da rede estadual, previstas para iniciar no dia 22, o governador informou a possibilidade de adiamento. "Nós já convocamos uma reunião extraordinária para a próxima quinta-feira. Dependendo de como estivermos, deliberaremos na próxima quinta feita, sob a possibilidade de adiar, por exemplo, as aulas na rede pública. É possível que a gente suspenda por esse período também as aulas da rede privada. Tudo vai depender dos números dos próximos oito dias", informou. Apesar do governador dizer, na semana passada, que o toque de recolher não estava descartado e os ministérios públicos pedirem a adoção deste, a medida não foi efetivada. No estado, até o momento, apenas o município de Canindé do São Francisco determinou a restrição. Ações de fiscalização serão feitas pelas forças de segurança e vigilância em todo o estado.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou o boletim epidemiológico do coronavírus, com 496 casos e nove mortes que estavam em investigação e foram confirmadas. Em Sergipe, 153.482 pessoas já testaram positivo para a Covid-19 e 2.993 morreram. Até o momento, 144.160 pacientes foram curados. As nove mortes foram: um homem, 41 anos de Aracaju, com diabetes; um homem, 19 anos, de Rosário do Catete, sem comorbidade; um homem, 60 anos, de Aracaju, com insuficiência renal aguda e hipertensão; um homem, 42 anos, de Aracaju, com doença cardiovascular crônica; uma mulher, 55 anos, de Aracaju, com neoplasia; uma mulher, 45 anos, de Canindé do São Francisco, com hipertensão; um homem, 75 anos, de Nossa Senhora do Socorro, sem comorbidade; um homem, 53 anos, de Nossa Senhora do Socorro, com diabetes; uma mulher, de 84 anos, de Aracaju, sem comorbidade. Foram realizados 322.544 exames e 169.062 foram negativados. Estão internados 476 pacientes, sendo que no serviço público são 111 em leitos e UTI (adulto), um na UTI neonatal/ pediatria e 118 em leitos clínicos (enfermaria), totalizando 230. Já nos leitos do serviço privado estão internados 113 pessoas na UTI adulta, dois na UTI neonatal/ pediatria e 131 em leitos clínicos, totalizando 246. São investigados mais 15 óbitos. Ainda aguardam resultados 2.447 exames coletados.

ARACAJU

A Prefeitura de Aracaju adotará medidas restritivas para conter a propagação do novo coronavírus na capital sergipana. Seguindo o decreto estadual, até o próximo dia 21 de março, atividades consideradas não essenciais ou especiais estarão proibidas de funcionar no período noturno, das 22h às 5h, e nos finais de semana. A decisão foi anunciada pelo prefeito Edvaldo Nogueira, nesta quinta-feira, 4, após reunião do Comitê-Técnico Científico e de Atividades Especiais. De acordo com o gestor, nesta sexta-feira, 5, haverá uma reunião do Comitê de Operações Emergenciais (COE) da Prefeitura, em que serão aprofundadas as discussões no âmbito municipal. Pelo decreto estadual, nos próximos finais de semana – de 5 a 7 e de 12 a 14 de março -, bares, restaurantes, lanchonetes e similares só poderão operar com sistema delivery ou retirada. Também ficou decidido que shoppings centers, galerias e centros comerciais estarão fechados. Entre os dias 5 e 21 de março, estabelecimentos deverão reduzir a capacidade máxima de público para 50%. Já eventos sociais, culturais, esportivos, corporativos, técnicos e festivos estarão proibidos nesse mesmo período, tanto em ambientes públicos como privados. “Acabamos de nos reunir com o comitê técnico-científico e, no encontro, o governador Belivaldo Chagas levantou questões importantes que serão adotadas para controlar o crescimento do número de casos do coronavírus em Aracaju e em Sergipe. É fundamental que essas medidas sejam tomadas para que possamos evitar o colapso em nosso sistema de saúde. Temos assistido o crescimento da doença em todo o território brasileiro e precisamos nos antecipar”, destacou o prefeito.

MOROSIDADE NA VACINAÇÃO

A Prefeitura de Aracaju tem avançado na imunização da população com celeridade e responsabilidade, cumprindo com o que foi estabelecido em seu Plano Municipal de Vacinação. Do quantitativo de doses repassado para o município até o momento – 25.930 -, já foram aplicadas nos aracajuanos 20.743, representando cerca de 80% do total, o que demonstra a efetividade da logística que tem sido colocada em prática na capital sergipana. “Há uma falsa polêmica de que a Prefeitura de Aracaju tem atuado com vagarosidade e isso não procede. É uma questão que precisa ser desmistificada porque temos vacinado os aracajuanos priorizados nas primeiras fases da campanha de maneira muito célere. A prova disso é que 80% das doses repassadas para o município já foram aplicadas. O problema está na ausência de vacinas, visto que a quantidade de imunizantes que temos recebido do governo federal é insuficiente para vacinarmos com a velocidade que o momento exige. Então, o problema não está na campanha, mas sim na quantidade limitada de vacina que tem chegado”, afirmou o prefeito Edvaldo Nogueira. Ao apresentar o novo cronograma de vacinação da cidade, com a ampliação do público idoso priorizado na capital, que passa a atender aqueles que têm entre 78 a 89 anos, o prefeito destacou que o município “tem experiência com vacinação, e uma logística muito bem definida sendo colocada em prática”. O gestor também observou que a análise feita sobre a eficácia do Plano Municipal de Vacinação “deve levar em consideração a quantidade de doses recebidas e a quantidade de doses aplicadas”. “Não é o nosso índice populacional que mede a velocidade da vacinação em Aracaju, mas quantas doses recebemos e aplicamos. Se recebermos 300 mil doses de vacinas, aplicaremos essas 300 mil doses com toda a eficiência e rapidez que o momento exige. As vacinas que chegarem para o município serão rapidamente disponibilizadas para os aracajuanos. Tenham a certeza de que todas essas doses que acabamos de receber, serão zeradas nos próximos dias, atendendo os critérios estabelecidos no Plano Nacional de Imunização, rigorosamente. A questão é que, infelizmente, o governo federal não tem enviado para os Estados e Municípios a quantidade necessária para que a gente possa vacinar em larga escala. Então, o que desejamos, e esperamos, é que mais vacinas sejam encaminhadas para que possamos imunizar a população”, reiterou Edvaldo.

CRÍTICA

O Governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, anunciou nesta quinta-feira, 4, após reunião com o Comitê Técnico Científico, medidas mais restritivas em Sergipe para evitar o aumento de casos da Covid-19. Durante coletiva a imprensa, o Governador falou da aglomeração de transporte público em Sergipe e citou que o fato vai na contramão das medidas restritivas adotadas pelo Estado. “Já conversei com o prefeito de Aracaju na semana passada e falei com ele hoje também na reunião do Comitê para que ele converse com as empresas de transporte público e encontre uma medida para evitar aglomeração. Porque não adianta adotar medidas restritivas e o transporte público estar super lotado”, ressalta. O Governador entende que o ideal, para que de fato as pessoas que utilizam o transporte público estejam em segurança, é que todos os passageiros estejam sentados nos ônibus durante a viagem. “Não sei se ampliando, se aumentando ou mudando horários, mas o ideal era não ter ninguém em pé nos ônibus”, aponta.

NOVOS BAIRROS

O prefeito Edvaldo Nogueira se reuniu com os vereadores da base aliada, para apresentar projeto de lei que transforma os povoados da Zona de Expansão em seis bairros de Aracaju. No encontro, o prefeito entregou a proposta ao presidente da Câmara Municipal, vereador Nitinho Vitale. Edvaldo também pediu apoio aos parlamentares para aprovarem o projeto que permite a adesão do município ao consórcio nacional para aquisição de vacinas contra a covid-19. "Não é só lei no papel, não é enganação. É o primeiro passo de um dos projetos mais importantes para o futuro da cidade, o Cidade Expansão, aquele com o qual me comprometi na campanha eleitoral, pela questão das leis que tornam os povoados em bairros, o que facilitará o planejamento urbano daquela área e nos permitirá atuar melhor sobre a região", detalhou o prefeito. "É o primeiro passo de uma grande caminhada", completou Edvaldo. Pelo projeto de lei entregue aos parlamentares, os povoados que deverão ser transformados em seis novos bairros são: Robalo, São José dos Náufragos, Mosqueiro, Areia Branca, Gameleira e Matapuã. Na mensagem do prefeito aos vereadores, ele destaca a necessidade da delimitação dos novos bairros, em virtude do crescimento populacional e da ocupação residencial expressiva nas localidades, já consolidada. Edvaldo ressalta também que o desenvolvimento da área requer uma atenção diferenciada por parte do poder público, com ações voltadas para o ordenamento e planejamento urbano da Zona de Expansão.

DESVIO DE VERBAS

A Folha de São Paulo mostra uma conexão do deputado federal Bosco Costa (PL-SE) em suposto desvio de emendas orçamentárias destinadas à saúde no Maranhão detectado pela Polícia Federal após apreensão de anotações manuscritas e mensagens em aparelhos celulares durante Operação Ágio Final, deflagrada em dezembro de 2020, naquele estado Mais dois parlamentares são citados na operação: Josimar Maranhãozinho (PL-MA) e Pastor Gil (PL-PB). A operação investiga um esquema de extorsão contra prefeituras que foram beneficiadas com as emendas obtidas pelos três deputados. Segundo informou a Folha de São Paulo, o cabeça da organização seria o agiota Josival Cavalcanti da Silva, conhecido como Pacovan, dono de postos de gasolina no estado que seriam usados para lavagem de dinheiro. Segundo a PF, Pacovan se apresentava junto a prefeitos como responsável por obter as emendas junto aos deputados envolvidos no esquema. Em troca, exigiria deles a devolução de uma parte do dinheiro como pagamento de propina, em valores que poderiam chegar a 25%. São mencionadas emendas de R$ 4.123.000 do deputado Bosco Costa (R$ 1.030.750 referente à parcela de 25%), de R$ 1.500.000 de Josimar Maranhãozinho (R$ 375 mil de propina) e R$ 1.048.000 de Pastor Gil, com R$ 262 mil de propina.

INAUGURAÇÕES

O deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) protocolou na Assembleia Legislativa, um projeto de lei que proíbe a realização de eventos de inauguração de obras ou empreendimentos públicos em Sergipe, enquanto durarem as medidas de prevenção ao Coronavírus. De acordo com o deputado, o PL visa que políticos e agentes públicos cumpram os decretos estaduais que proíbem aglomerações. “O momento que estamos é muito delicado e agora é hora de todos darmos exemplos. Por isso, estamos apresentando este PL que visa proibir a realização de eventos de inaugurações de obras públicas a fim de evitar as aglomerações. A ideia é que os decretos estaduais publicados durante a pandemia sejam cumpridos por políticos e agentes públicos”. “Temos acompanhado algumas inaugurações de obras públicas com a presença de muitos políticos. Este tipo de evento sempre aglomera muitas pessoas. Nós os políticos precisamos fazer a nossa parte e dar o exemplo para a população. Como poderemos cobrar das pessoas que elas cumpram os protocolos se nós não fazemos o mesmo”? O deputado explica que com o surgimento de variantes mais contagiosas e a presença delas em Sergipe, é necessário evitar as aglomerações no estado. “Com a chegada das novas variantes, nós precisamos cumprir os protocolos de segurança, usar máscaras, praticar o distanciamento e principalmente acabar com as aglomerações”.

TRAGÉDIA SANITÁRIA

A vereadora Linda Brasil (PSOL), divulgou na sessão dados alarmantes sobre a situação da pandemia no Brasil, e em Aracaju. Analisou o drástico aumento acelerado em um ano, desde que apareceram os primeiros casos da Covid-19 em Aracaju. “No dia 10 de março de 2020 a prefeitura divulgou que Aracaju tinha 2 casos suspeitos e 25 sendo monitorados. Hoje, 04 de março, quase um ano depois do início da pandemia em nossa cidade, já são 77.412 casos confirmados e 1.101 pessoas que perderam a vida. Aracaju acumula 1/3 das mortes de todo o estado e a taxa de ocupação dos leitos de enfermarias municipais é de 73,6%.”, informa. A parlamentar acrescenta que o Brasil registrou 1.840 mortes em 24h, batendo um novo recorde de óbitos no país, contabilizando mais de 259 mil vidas perdidas. “ Essas vidas que poderiam ter sido salvas se não tivéssemos um genocida sentado na cadeira da presidência. É preciso combater essa ideia absurda de que vivemos um novo normal! Na verdade, estamos vivendo o pior momento da pandemia.”, avalia Linda. A vereadora reflete que a postura negacionista que tem sido difundida, principalmente pelo governo federal, aliado aos interesses dos empresários, contribuíram para o aprofundamento do contágio. “Os cientistas avisaram, mas os governos e os empresários preferiram negar e deixar morrer. O povo organizado, as casas legislativas e as estruturas democráticas precisam agir ou mais pessoas vão morrer.”, destaca.

PEC EMERGENCIAL

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), disse que a PEC Emergencial, começará a ser votada na Casa na próxima terça-feira (9). O texto, que cria mecanismos de ajuste fiscal e permite a retomada do pagamento do auxílio emergencial durante a pandemia da covid-19, foi aprovado pelo senado em segundo turno, na tarde de hoje. Havia a expectativa de que a Câmara iniciasse o debate da proposta ainda nesta quinta-feira. Mas após reunião do colégio de líderes foi firmado o entendimento de que a Casa precisa de mais tempo para analisar a proposta. Para relatar a proposta, Lira escolheu o deputado Daniel Feitas (PSL-SC). “Não é justo que a PEC saia hoje do Senado e a Câmara tenha que votar hoje ou amanhã sem discutir. O Senado levou um tempo maior e os deputados e deputadas tendo conhecimento do texto, pelo menos dá para os partidos e as lideranças se posicionarem com relação ao mérito a partir da terça-feira, que é o que eu penso”, disse Lira após a reunião. Na avaliação do presidente da Câmara, se houver um acordo entre as lideranças partidárias, há a possibilidade de a tramitação da PEC ser acelerada. Para isso, tem que ser aprovado um requerimento de urgência para que a análise do texto ocorra diretamente no plenário, sem passar pelas comissões. Caso isso ocorra, Lira disse acreditar na possibilidade de votar a proposta em primeiro e segundo turnos ainda na quarta-feira (10), com a quebra do intervalo de votação entre os turnos, que é de cinco sessões entre um turno e outro. Para ser aprovada, a proposta deve ter os votos de três quintos dos deputados, no mínimo, em cada turno da votação. Ou seja, aprovação de 308 dos 513 deputados.

QUIPROCÓ EM TOBIAS

O advogado Fernando Valeriano, conhecido como Nêgo Valeriano, renunciou hoje ao patrocínio das ações em que era responsável como advogado do prefeito da cidade de Tobias Barreto, Dilson de Agripino. Nêgo, fez parte do quadro de advogados, do então candidato a Deputado Estadual em 2018 Dilson de Agripino, e também na recente campanha para prefeito em 2020. Porém, Nego como é conhecido na cidade decidiu RENUNCIAR ao patrocínio das ações que ainda estão em andamento. Nos bastidores, vários seguidores do grupo do prefeito Dilson de Agripino foram pegos de surpresa, pois são muito gratos a tudo que Nêgo Valeriano fez pelo grupo político e pelos amigos, sem abandoná-los um só segundo.
 O auge foram as ações que levaram às cassações do mandato da deputada Valdiná Almeida e dos direitos políticos do ex-prefeito Diógenes Almeida, ainda pendentes de julgamento pelo TSE. 




Tópicos Recentes