EITXA PÉ

05/07/2022 as 09:39

'Ele me desferiu cinco golpes', diz jovem agredido por PM durante a festa em Capela


<?php echo $paginatitulo ?>

"Um policial, sem motivo algum, me agrediu na festa. Ele me desferiu mais cinco golpes". O relato é de Yuri Juan Andrade Parente, de 24 anos. Ele denuncia que foi agredido por um policial militar na manhã do último domingo, 3, durante a 83º edição da  tradicional Festa do Mastro de Capela.

Segundo a vítima, que trabalha como fotógrafo, tudo aconteceu após se perder de familiares durante o cortejo do Mastro. "Me perdi de amigos e familiares por cinco minutos e, enquanto estava procurando por eles, senti uma pancada no meu braço esquerdo, quando olhei para o lado vi que era um policial militar, que estava fazendo a segurança da festa. Levantei meu braço para proteger, tanto minha a cabeça, quanto algum órgão vital. Foi aí que ele me desferiu mais cinco golpes", relata o fotógrafo.

Yuri foi atendido no Hospital São Pedro de Alcântara, ainda em Capela. O boletim médico da unidade de saúde apontou que ele teve um trauma no braço esquerdo. Ele foi encaminhado para um hospital de Aracaju onde fez uma radiologia e foi atendido por um ortopedista.

Ainda segundo a vítima, esta foi a primeira vez que foi envolvido em uma situação como esta. "Sou frequentador da Festa do Mastro há 10 anos. Atualmente moro em Aracaju, mas tenho residência em Capela. Nunca me envolvi em briga seja em qualquer tipo de festa. Essa é a primeira vez que isso acontece. Até uma menina parou para me ajudar porque ela viu que não tinha acontecido nada. A indignação é muita porque a organização que está para proteger o próprio cidadão é a mesma que está causando esse tipo de coisa. Estou bastante triste com a situação", conta.

O fotógrafo foi até uma delegacia onde prestou boletim de ocorrência. Ele está indo neste momento ao Instituto Médico Legal (IML), em Aracaju, para fazer o exame de corpo de delito.

A mãe de Yuri repudiou o ocorrido e denunciou outra situação de abuso de autoridade ocorrida na festa. "A gente sai de casa para participar de uma festa que é tradição em Capela e se depara com um policial querendo bater nas pessoas sem ter o mínimo de respeito, mínimo de empatia com as pessoas. Não é só com meu filho, quando cheguei no hospital, uma criança de 14 anos tinha acabado de sair de lá sendo transferida para Aracaju porque eles deram várias pancadas, balas de borracha atirando para tudo que foi lado. Isso não pode acontecer, dez minutos que meu filho se perdeu da gente acontece um negócio desse. Eles estão para nos defender e eles mesmos que estão fazendo isso", denuncia.

Em nota, a assessoria de comunicação da Polícia Militar (PM/SE) informou que assim que a denúncia chegar na Corregedoria será instaurado o procedimento administrativo a fim de apurar o fato.




Tópicos Recentes