O ex-governador de Sergipe, João Alves Filho, 79 anos, continua internado em estado grave na UTI do Hospital Sírio Libanês, em Brasília, onde deu entrada na última quarta-feira (18), após sofrer uma parada cardíaca por cerca de 20 minutos. As informações passadas por familiares, o quadro clínico do ex-governador apresentou piora nas últimas horas e não está respondendo aos medicamentos. Com Alzheimer em estado avançado, João Alves reside em Brasília há algum tempo, na companhia da esposa, a senadora Maria do Carmo. Formado em engenharia civil, João Alves Filho governou Sergipe por três mandatos. O primeiro de 1983 a 1987, o segundo de 1991 a 1994 e o último de 2003 a 2006. Na última década, foi eleito prefeito de Aracajú, em 2012, exercendo a função até 2013. O político de 79 anos teve a carreira marcada pelo envolvimento com os desafios da Região Nordeste e com a transposição do rio São Francisco. João Chapéu de Couro, como era popularmente conhecido, também foi ministro do Interior do Brasil de 1987 a 1990, quando o cargo criado em 1967 foi extinto para ser substituído pela a Secretaria de Desenvolvimento Regional, instalada na estrutura administrativa da Presidência da República. O ex-governador já vivia sob os cuidados da família em uma Unidade de Tratamento Intensiva (UTI) montada dentro da residência dele, onde mora com a esposa, a senadora Maria do Carmo (DEM), em Brasília. Em 2019, João Filho já havia sido internado mais de uma vez por problemas de saúde.

POSIÇÃO PESSOAL

O ex-vereador e presidente do DEM de Aracaju, Júnior Pinheiro, vai apoiar a reeleição do atual prefeito Edvaldo Nogueira neste segundo turno. Ele diz que é uma decisão pessoal, e que independe do caminho que siga a sigla na capital. “Eu me antecipo e com muita tranquilidade anuncio minha posição independente do partido, já que não há qualquer envolvimento de candidatura majoritária do DEM neste segundo turno”, explicou Júnior. O presidente estadual José Carlos Machado ainda não se posicionou, nem mesmo a delegada Georlize que disputou o primeiro turno da eleição, mas, Júnior declara que irá compreender a decisão que eles possam tomar, no entanto, enfatiza que essa se trata de uma posição pessoal. “Acho que Edvaldo é melhor, e vou com ele”, arrematou Pinheiro.

COVID-19

A taxa de transmissão da Covid-19 caiu para menos de 1 em Sergipe. Esse indicador serve como uma estimativa de como a doença se espalha entre a população. Abaixo de 1 significa dizer que uma pessoa infectada pela doença transmite para menos de uma pessoa, como explicou o diretor de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES), infectologista Marco Aurélio Góes, salientando que o Estado registra no momento queda no número de casos, de óbitos e de internações. A taxa de transmissão abaixo de um implica dizer que o vírus tem uma dificuldade maior de ser transmitido e por uma série de razões, entre elas o fato de que muitas pessoas foram infectadas, criaram anticorpos, dificultando a circulação do vírus no ambiente, segundo avalia o diretor de Vigilância em Saúde. “Isto é bom porque caíram as taxas de adoecimento, internações e óbitos, mas em compensação é uma doença nova, que não se conhece direito, não se sabe como se comporta essa imunidade, se vai garantir que no próximo ano ou daqui a alguns meses não tenhamos novas infecções”, alertou. Marco Aurélio salientou que em se tratando de Covid-19 Sergipe tem apresentado uma queda gradual e contínua, inicialmente com uma velocidade mais rápida e agora mais lenta devido à diminuição dos números, mas orienta a sociedade, aos gestores e profissionais de saúde de que é importante que todos estejam atentos para qualquer transformação neste cenário. “Os serviços de saúde precisam notificar os casos e os profissionais que atuam nas urgências devem observar se está aparecendo casos mais graves neste momento ou se continuam diminuindo, porque são estas informações que fazem com que a gente conseguia observar como está a curva de transmissão”, disse.