01/07/2022 as 20:00

Instituto França revela empate técnico em Sergipe

O deputado federal Fábio Mitidieri, os senadores Alessandro Vieira e Rogério Carvalho estão empatados tecnicamente.

Política Online

Política
<?php echo $paginatitulo ?>

Rápido, dinâmico e casseteiro, foi assim que o Instituto França desenvolveu a primeira pesquisa estadual após o Tribunal Superior Eleitoral defenestrar parcialmente a campanha do líder inconteste das pesquisas de opinião para a chefia do executivo estadual, o ex-prefeito de itabaiana Valmir de Francisquinho (PL). O Instituto divulgou, nesta sexta-feira (1º), os dados da nova pesquisa de intenção de votos dos sergipanos para o Governo. No cenário induzido, o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD), o senador Alessandro Vieira (PSDB) e o senador Rogério Carvalho (PT), estão empatados tecnicamente na liderança segundo a margem de erro da pesquisa. O levantamento foi realizado entre os dias 24 e 30 de junho e registrado no Tribunal Superior Eleitoral – TSE com o número SE-05378/2022. Os números da pesquisa são os seguintes: Alessandro Vieira (15,4); Fábio Mitidieri (15,1%); Rogério Carvalho (14,0%); João Fontes (3,6%); Emanuel Franco (1,5%); Dr Cláudio Geriatra (1,1%); Prof Aroldo Félix (1,0%); Elinios Sabino (0,3%); NH/Branco/Nulo (21,7%); Não sabe/Indeciso (26,3%).

Segundo o senador Aessandro Vieira (PSDB), “os números mostram que os sergipanos estão atentos ao cenário político do nosso estado e identificando que nós representamos a verdadeira mudança que Sergipe precisa. O cidadão está cansado de promessas deste mesmo grupo que há anos está no poder e levou o nosso estado aos piores índices em todas as áreas. Ou seja, não resolveu os problemas causados pelo próprio grupo”, afirma Alessandro Vieira. O pré-candidato a governador atribui ainda o seu desempenho às propostas que tem apresentado à população sergipana. “Tanto nas visitas que estamos fazendo aos municípios, como nas entrevistas à imprensa e nas redes sociais estamos dialogando com o cidadão e mostrando que temos um projeto concreto para que Sergipe volte ao caminho do desenvolvimento e tenha qualidade nos serviços prestados à população. Apresentamos propostas reais e não promessas vazias”, salienta o senador Alessandro. No cenário nacional a pesquisa constatou a diminuição da diferença do ex-presidente Lula para o atual presidente Bolsonaro que hoje gira em torno de  31,6 %, no estado. Alguns jornalistas independentes do estado, se arvoraram em divulgar os números da pesquisa achando que poderiam de alguma forma prejudicar o início das campanhas eleitorais no estado, e não se atentaram para os números da pesquisa, que apresentaram um empate técnico.


VAI PRA CAMPO

O pré-candidato ao governo do Estado, Fábio Mitidieri, se afasta definitivamente da Câmara Federal próxima semana para dedicar-se às eleições. Em seu lugar, assume como deputado federal o suplente Alexandre Figueiredo. Fábio embarca para Brasília na segunda-feira, dia 04. Quando retornar à Sergipe, deve reunir o grupo e líderes para intensificar as estratégias de campanha.

É FEDERAL

Nesta sexta,1º, o professor e pré-candidato a deputado federal, Anderson Gois, comentou sobre seu posicionamento nessas eleições de 2022. Ex-vereador de Aracaju, pretende trazer recursos para Sergipe e transformar a educação. De acordo com o pré-candidato, ele deseja representar Sergipe na Câmara Federal: “As pessoas acham que só os ricos ganham para deputado federal, quero quebrar esse paradigma e ser o deputado federal feito por Aracaju, que trará mais do que o esperado de recursos para os sergipanos”, declarou Anderson Gois. Professor que estudou a vida inteira na rede pública, Anderson tem projetos inovadores para a educação, que incluem tecnologia e inteligência emocional na grade curricular. Entretanto, ele divide o lançamento de sua pré-candidatura com outros fortes nomes do União Brasil como André Moura, Toinho Nery, Rodrigo Valadares e Fábio Henrique.

SONHO DELE

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) buscou indicar nesta sexta-feira que talvez não tente a reeleição em 2026, caso seja eleito presidente neste ano. O petista tem 76 anos. Em entrevista à rádio Metrópole, da Bahia, Lula buscou dar esse indicativo em quatro momentos da entrevista, mesmo não tendo sido questionado sobre o tema. Em um primeiro momento, disse que é preciso formar novos quadros políticos para as próximas eleições a presidente. Depois, afirmou que tem apenas quatro anos para deixar o país "tinindo". Mais à frente, na mesma entrevista, repetiu: "Só tenho quatro anos, só tenho quatro anos". Em seguida, em outro momento, de novo sem ser questionado, falou em entregar o mandato em 2026 para uma outra pessoa o cargo de presidente. "Sonho todo dia. Quando chegar 31 de dezembro de 2026, que a gente for entregar esse mandato para outra pessoa, esse país estará bem", afirmou o petista.

RELAÇÃO ESTREMECIDA

Jair Bolsonaro deu uma prova do descontentamento com Tarcísio de Freitas, ex-ministro de Infraestrutura lançado ao governo de São Paulo pelo Republicanos. Na última viagem que fez ao estado, dia 14, não ligou para Tarcísio. É sintomático. Normalmente, Bolsonaro costuma fazer contato com aliados estratégicos (sobretudo candidatos ao governo e ao Senado) quando visita os respectivos redutos eleitorais, seja com objetivo de conciliarem agendas ou simplesmente como gesto de cortesia. A mágoa ocorre porque o presidente já foi alertado de que o ex-ministro tem evitado falar sobre ele na pré-campanha, com receio de que a vinculação a Bolsonaro o atrapalhe eleitoralmente, tanto na articulação política em busca de alianças quanto na captação de votos. No próprio partido ao qual Tarcísio se filiou, o Republicanos, Bolsonaro está longe de ser uma unanimidade. Por pouco, muito pouco, o presidente nacional da sigla, Marcos Pereira, não rompeu com Bolsonaro no início do ano.

PEC APROVADA

O Plenário do Senado aprovou nesta quinta-feira (30) a proposta de emenda à Constituição (PEC) que institui estado de emergência até o final do ano para ampliar o pagamento de benefícios sociais (PEC 1/2022). Agora a proposta será encaminhada para análise da Câmara dos Deputados. A PEC prevê R$ 41,25 bilhões até o fim do ano para a expansão do Auxílio Brasil e do vale-gás de cozinha; para a criação de auxílios aos caminhoneiros e taxistas; para financiar a gratuidade de transporte coletivo para idosos; para compensar os estados que concederem créditos tributários para o etanol; e para reforçar o programa Alimenta Brasil. Esse valor não precisará observar o teto de gastos, a regra de ouro ou os dispositivos da Lei de Responsabilidade Fiscal que exigem compensação por aumento de despesa e renúncia de receita. O reconhecimento de estado de emergência serve para que os pagamentos não violem a legislação eleitoral. A criação de benefícios destinados a pessoas físicas é proibida em ano de eleições. A única exceção é a vigência de estado de emergência (Lei 9.504, de 1997). Todas as medidas têm duração prevista até o final do ano de 2022.

RESPONDEU

Em resposta aos comentários feitos em emissora de rádio e aqui publicados pelo deputado federal Fabio Mitidieri, pré-candidato a governador (PSD) o ex-prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho, que, por decisão do TSE, está inelegível por oito anos e está recorrendo da decisão, declarou: “Quem tem processo é ele. Ele, a irmã… Ele tem mais processo do que metade dos políticos do Brasil, entre s quais por sonegação da Receita Federal, no STF (Supremo Tribunal Federal). Pergunte se ele tem. Muitos”. E acrescentou: “Pois é, esses cara fala de mim porque não tem o meu apoio, mas fica por trás, entendeu? Queria o meu apoio, queriam tudo. Então por que você queria apoio de quem tinha processo ou de quem era desonesto. Aí como é que você quer estar no palanque? André ele chamava de ladrão, de marginal, né? Agora, André é bom e está com eles. É assim todos que estão com ele. Tem processo. Quem é que tem processo? Governador tem processo? (sobre ele mesmo) Pode ser processo. Vou resolver. Quem está na vida pública é assim, meu amigo. Sempre tem. Já processo inelegibilidade, né? Conta de uma cor. Pior algum tipo de processo que eu tenho é por conta do uso do nas obras que foram executadas. Veja, não é processo de nada de vida, dinheiro nem nada não. Entendeu?

NADA DE MATINÊ

O ex-prefeito de Capela, Manoel Messias Sukita, sofre a segunda derrota consecutiva junto a justiça em Sergipe, por conta dos festejos juninos. Recentemente o juiz titular da Comarca de Japaratuba, Dr. Rivaldo Salvino do Nascimento, negou o pedido de mandado de segurança interpelado pelo ex-prefeito Manoel Messias Sukita, para a realização da festa “Matinê do Sukita”, e determinou ao ex-prefeito o pagamento das custas processuais no caso. Agora, uma decisão judicial expedida nesta quinta-feira (30), pela juíza Claudia do Espírito Santo, proíbe Sukita de realizar o evento no que seria sua residência. Em seu despacho, a juíza diz que “defiro a tutela de urgência pleiteada nos termos do artigo 300 do Código de Processo Civil e determino a imediata intimação do réu para que não realize o evento “Forró do Sukita” no mesmo dia e horário das festas juninas capelenses”. Por fim, a magistrada determina que “intime-se o réu para cumprimento imediato da medida e, na mesma oportunidade, cite-se-lhe para responder aos termos da presente ação no prazo de 15 dias……. e conclui: “determino a imediata intimação do réu para que não realize o evento “Forró do Sukita” no mesmo dia e horário das festas juninas capelenses sob pena da imposição de multa de R$ 500.000,00”.

VIÉS POLÍTICO

Empresário no ramo de segurança privada há anos, Marco Pinheiro (PL), em 2022 ingressa na vida pública certo de que contribuirá para o estado de Sergipe. O pré-candidato à deputado estadual é apoiador declarado de Bolsonaro e não abre mão da pré-candidatura de Valmir de Francisquinho. Nesta sexta, 1, Marco Pinheiro concedeu entrevista ao programa Sem Censura, da rádio Sara Brasil (97.1). O pré-candidato estadual diz que não vê na Alese a representatividade e a proatividade necessária para Sergipe. “ Falta visão empreendedora, falta incentivo à cultura local e falta sensibilidade. Qual foi o projeto político que os deputados atuais apresentaram na pandemia? Por que não apresentar um projeto para os sanfoneiros que ficaram parados durante esses dois anos, por exemplo?”, declara. Depois de ter saído do Progressistas e se filiado ao Partido Liberal, a relação de Marco Pinheiro com o deputado federal LAércio Oliveira (PP) ficou em questão: “Sempre fui amigo e apoiador de Laércio, entretanto hoje, preciso ter lado e estou ao lado de Eduardo Amorim para senador, que também é um homem competente”, explica Marco. Questionado sobre a decisão do TSE sobre a inelegibilidade de Valmir de Francisquinho, ele coloca: “O TSE com membros do STF, que ‘descondenam’ o maior bandido do Brasil é claramente um tribunal que decide com um viés político. É um absurdo condená-lo pela ‘cor azul’, portanto não há plano B enquanto houver recurso”, garante o pré-candidato.

EMENDAS PARTICIPATIVAS

O senador Alessandro Vieira (PSDB-SE) divulgou o resultado final do Edital de Emendas Participativas 2022, nesta quinta-feira (30), durante evento com as instituições e organizações participantes. Mais de 60 mil sergipanos e sergipanas colaboraram com o processo participativo, votando e escolhendo as iniciativas que vão receber recursos para desenvolver importantes projetos que impactam todo o estado de Sergipe. O resultado final está disponível no link https://adobe.ly/3ytodX1 "Agradeço a cada um de vocês que se envolveu nesse processo participativo, essa forma diferente de fazer a distribuição dos recursos, dando à própria população o direito de decidir para onde será destinado o dinheiro das nossas emendas parlamentares. Foram 335 projetos inscritos, que receberam tratamento técnico e foram colocados à disposição dos sergipanos para votação. Mais de 60 mil pessoas escolheram dois projetos, um municipal e um estadual. Ao todo, mais de 120 mil votos computados. Um resultado expressivo, que demonstra o poder da participação popular. Pela decisão dos sergipanos, esses projetos vão receber os recursos que serão executados de forma efetiva, resolvendo problemas concretos dos sergipanos", pontuou Alessandro Vieira antes de anunciar os nomes dos vencedores. Para a votação popular, os projetos foram agrupados de acordo com o local em que serão executados e a densidade populacional de abrangência. Esse critério foi escolhido desde 2019 por estar relacionado à capacidade de mobilização de votos. Para a formação dos grupos foi levado em consideração as estimativas populacionais do IGBE para 2021. Além disso, os projetos foram separados em um bloco de áreas gerais e um bloco da área de saúde. Ao todo, 38 projetos foram vencedores, confira no link https://adobe.ly/3ytodX1 O processo anual de seleção de emendas é composto por duas fases: envio de projetos com pré-seleção por uma equipe técnica e votação popular.

PL MULHER

O Partido Liberal Mulher de Sergipe, realizou nesta quinta-feira, 30 de junho, o ‘Grande Encontro PL com Elas’. O evento que iniciou com um almoço no Aquárius Hotel, em Aracaju, ocorreu em clima de confraternização com o objetivo promover o debate sobre a atuação da mulher na política. O encontro contou com palestras de Gabriela Figueiredo, Aurélia Calheiros, Elisa Marques, Ana Sarmento, Graça Santos e Rosy Silva. O evento que foi coordenado pela presidente do PL Mulher, Lícia Melo, contou com a presença de personalidades femininas, que oportunizaram conhecimento e socialização as convidadas. Demonstrando grande entusiasmo pela participação da mulher não apenas na política, mas em todas as esferas, Lícia deixou claro que é de suma importância que a mulher se encontre e se reconheça como protagonistas da história e da política do Brasil. "Foi muito importante esse momento, quando pudemos perceber o quanto a mulher tem a contribuir para o avanço da política em nosso país. Hoje trouxemos aqui, capacitação porque ninguém vai a guerra sem preparo", orgulha-se. A presidente do PL Mulher observou que é urgente trazer as mulheres para frente de batalha, e também para os bastidores, onde ela já esteve um dia como preparação para algo maior. "A mão que balança o berço é o braço que rege o mundo. A mulher já inicia na política dentro de casa. Nem sempre ela reconhece seu empoderamento, mas ela tem um poder bem maior do que pensa", ressaltou Lícia Melo. A palestrante Rosy Silva falou da importância do comportamento e das ações, que geram grandes mudanças na vida das mulheres que participaram do encontro. "A conscientização dessas mulheres, gera um impacto na sociedade. A mulher começa a entender sua importância no mundo o que causa uma mudança positiva em toda a sociedade. Por isso, a importância desse encontro com elas é para elas", ressaltou.

VIGILANTE

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, disse, nesta sexta-feira (1º), que a Corte “permanecerá vigilante” para “guardar a Constituição Federal” e que manterá “vigilância suprema em prol da higidez da realização das eleições no nosso país” neste ano. “O Supremo Tribunal Federal permanecerá vigilante e sempre à altura da sua mais preciosa missão: a de guardar a Constituição Federal, com zelo pela segurança jurídica e com atenção ao sentimento constitucional da população brasileira, mantendo a sua vigilância suprema em prol da higidez da realização das eleições no nosso país”, afirmou Fux. Em discurso na sessão de encerramento das atividades do Supremo nesta sexta (1º), Fux citou diversas ações adotadas pela sua gestão e decisões do STF neste primeiro semestre de 2022. Um dos pontos citados por Fux foi o estabelecimento de parcerias de combate à desinformação do STF com organizações que atuam nesse sentido. Segundo o presidente do STF, isso foi necessário diante de “notícias falsas ou deturpadas” sobre “o conteúdo das decisões tomadas por esta Corte” e também em relação a “seus próprios ministros e servidores”. “Em um cenário de aumento expressivo de notícias falsas ou deturpadas – tanto sobre o conteúdo das decisões tomadas por esta Corte, como sobre seus próprios ministros e servidores – tornou-se premente um reforço institucional para compreender como essa desinformação é propagada e quais contramedidas podem ser tomadas a fim de garantir à sociedade brasileira informações claras, reais, objetivas e verdadeiras sobre a atuação da Corte”, disse o ministro. Segundo Fux, “esses acordos têm gerado ricas discussões e permitido substanciais avanços práticos como o aperfeiçoamento dos recursos tecnológicos da Corte para identificação mais célere de práticas de desinformação e a capacitação de servidores, jornalistas profissionais e influenciadores digitais para o adequado enfrentamento a essa prática tão nociva à democracia”. O presidente do STF também citou alguns processos que entrarão na pauta do Supremo na retomada do 2º semestre, em agosto. Entre eles, os principais envolvem questionamentos à nova Lei de Improbidade Administrativa, como foi discutido com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e líderes da Câmara nesta semana, e questionamentos envolvendo o teto de gastos da administração pública. Além disso, segundo Fux, também serão julgadas ações que envolvem o direito à saúde, ao transporte, ao sigilo de dados pessoais, direito ambiental e direitos trabalhistas diversos. De acordo com o presidente do STF, esses temas devem ser analisados até o fim de sua gestão, no início de setembro. A ministra Rosa Weber, que assume o Supremo no dia 9 de setembro, deve definir os temas após a sua posse, afirmou Fux.




Tópicos Recentes