POLÍTICA

09/06/2021 as 09:17

CPI da COVID acumula “patifarias”, segue sem foco e tem baixa credibilidade

Quorum

Política
Por Habacuque Villacorte
<?php echo $paginatitulo ?>

Está em busca de entretenimento na televisão? Quer ver um monte de gente debatendo sobre um assunto que a maioria não domina e sequer conhece, mas se coloca como autoridade? Quer ver pessoas que estudaram sobre o assunto sendo questionadas e responsabilizadas pela COVID-19 por pessoas que não sabem fazer um simples curativo? Quer ver alguém disposto a incriminar o outro, sendo que este responde a vários processos por condutas bem questionáveis no Congresso Nacional? Não percam os “episódios” da CPI da COVID do Senado Federal.

 

Parece brincadeira, mas infelizmente não é! Sua origem tinha a intenção de buscar alternativas para o enfrentamento do País à pandemia, tentando encontrar respostas para a demora no processo de imunização e sobre a veracidade do polêmico tratamento precoce com cloroquina e outros medicamentos. Mas diante da sua composição, com alguns “quadros” em posições estratégicas, ficou claro para a sociedade brasileira que teríamos uma CPI mais política do que técnica, com o intuito de prejudicar ou até derrubar o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido)...

 

Mas a CPI vem se transformando em um verdadeiro “circo”, politizada, horas completamente sem foco, sem direção, numa espécie de “vale-tudo” para tentar atingir o governo federal. O Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, por exemplo, acaba de ir pela segunda vez à CPI, respondendo a senadores, em especial da oposição, aos mesmos questionamentos que já havia se posicionado há cerca de um mês! Fala-se em imunização da população, mas os senadores atropelam as falas, desrespeitam os convidados, tentam impor e forças narrativas...está tudo muito claro para quem assiste!

 

Em alguns momentos os embates parecem cômicos, à linha “pastelão”, quando muitas vezes nos perguntamos como determinadas figuras conseguiram se transformar em “Vossa Excelência”, e alguns até se “perpetuam”, diante de tanta “excrecência”! Uma prova maior do quanto continuamos, enquanto brasileiros, escolhendo ruim os nossos representantes nos parlamentos. Nessa CPI tem médico que se considera “o Papa da Medicina”; tem delegado “interrogando” cientistas como se ainda estivesse em uma delegacia; melhor nem falar dos suspeitos de corrupção...

 

A CPI da COVID debate a realização da Copa América no Brasil; compara uma série de eventos esportivos, nacionais e internacionais; discute problemas sociais e econômicos por conta de medidas restritivas durante a pandemia; fala-se até (PASMEM) em ex-atriz do cinema pornô! Haja patifaria! Vídeos são exibidos e editados de acordo da conveniência de quem acusa e de quem defende...não é exagero dizer também que a CPI é uma “´fabrica de fake News”! E agora, não custa preparar o coração: governadores e prefeitos serão interrogados por adversários políticos...

 

Se alguém colocou o “cavalinho” fora de casa apostando em problemas para Bolsonaro com essa CPI, deixe o “animal” pegando um pouco de “sol” (mesmo porque estamos tendo um inverno de poucas chuvas)! Querem convocar o filho do presidente porque ele entrou na sala durante uma reunião! Esse é o objeto (ou seria objetivo?)! Ainda bem que o BBB 21 acabou, caso contrário...Bom, e assim vai caminhando essa CPI, com gritos e provocações, apesar de muita intensidade, tende a ter pouca efetividade porque junto ao povo o que mais lhe falta hoje é credibilidade...

 

Veja essa!

O presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, deputado estadual Luciano Bispo (MDB), foi entrevistado na manhã dessa terça-feira (8) pelo radialista e também deputado Gilmar Carvalho na FM JORNAL quando respondeu a vários questionamentos sobre a instalação de mais leitos de UTI contra a covid-19, pelo governo do Estado, no município de Itabaiana.

 

E essa!

Na oportunidade, Luciano Bispo destacou o empenho do poder Legislativo como um todo para ajudar o Executivo no enfrentamento ao vírus, como também sua luta, e dos deputados Maria Mendonça (PSDB), Talysson de Valmir (PL) e do próprio Gilmar Carvalho para tentar garantir mais leitos de UTI para Itabaiana, e uma melhor assistência para o povo daquele município.

 

Luciano Bispo I

Luciano explicou que o Estado já disponibilizou 10 leitos de UTI, pontuou que vários estudos estão sendo realizados, mas reconheceu que há um problema estrutural. “Os pacientes com covid-19 precisam de um tratamento diferenciado para que a doença não se agrave e para que o paciente não precise ser entubado. Tudo tem que ser feito com cuidado, tecnicamente e com responsabilidade”.

 

Luciano Bispo II

O presidente da Alese entende que esse combate ao covid-19 requer o envolvimento de todos os poderes e, sobre o caso de Itabaiana, ele defendeu que a gestão municipal contribua no enfrentamento, garantindo o atendimento para os casos iniciais de infectados com o vírus, até para evitar a superlotação do Hospital Regional. “Sobre os leitos de UTI não há má vontade do governador ou da Secretaria de Saúde. Há sim uma dificuldade técnica”.

 

Luciano Bispo III

“Essa não é uma discussão política, mas uma questão técnica. Tenho o maior respeito pela vida das pessoas. Nós não estamos de braços cruzados! Não é questão nem de falta de vontade dos políticos e nem de fraqueza do poder público. Os deputados estaduais trabalham muito e têm cobrado sim. Agora a gente tem que respeitar questão da parte técnica”, completou o presidente da Alese.

 

Francisco Gualberto I

O deputado estadual Francisco Gualberto (PT) anunciou que, em conversa com o governador Belivaldo Chagas (PSD), fez um apelo para que o Estado produza duas peças publicitárias para propagandas no rádio e na televisão incentivando as pessoas a tomarem vacinas contra a covid-19. O petista sugeriu que a Alese, inclusive, também se some nas campanhas publicitárias.

 

Francisco Gualberto II

Ao reconhecer a gravidade dos casos de covid-19, Gualberto detalhou esse apelo feito ao governador e foi aceito prontamente. “Ainda estamos com pouco mais de 10% das pessoas imunizadas no Brasil, ou seja, que tomaram a segunda dose da vacina e fiz um apelo ao governador para que o Estado reforçasse a publicidade sobre a vacinação e os vacinados. A primeira peça publicitária seria voltada para quem já tomou as duas doses”, disse.

 

Já vacinados

“É no sentido que essas pessoas tenham mais empatia com o próximo. Se já estão vacinadas, podem contrair o vírus e não apresentar os sintomas mais graves, mas podem transmitir para outras pessoas que podem vir a óbito. Essas pessoas estão abandonando as máscaras os cuidados contra o vírus. Fiz um apelo por uma peça publicitária mais didática”, completou o petista.

 

2ª dose

Gualberto disse ainda que a segunda peça publicitária sugerida é voltada para quem tomou a primeira dose da vacina. “Por uma série de aspectos essas pessoas não estão buscando a segunda dose. Ficam ouvindo bobagens, de que já estão imunizados e nós precisamos incentivar essas pessoas. Agradeço ao governador e já conversei com o superintendente de Comunicação, Givaldo Ricardo, a respeito”, concluiu, se solidarizando com o deputado João Marcelo, que testou positivo para a covid-19.

 

Ibrain Monteiro I

O deputado estadual Ibrain Monteiro (PSC) parabenizou a Polícia Civil de Sergipe pela Operação que resultou na prisão de Adriano Vieira Santos, mais conhecido como “Sapão”, na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro (RJ). Adriano “Sapão” foi localizado com o apoio do Núcleo de inteligência da Unidade de Polícia Pacificadora da Rocinha e é conhecido pela vasta ficha criminal que carrega, com a prática de homicídios, porte ilegal de arma e sendo considerado o maior traficante de Sergipe na atualidade.

 

Ibrain Monteiro II

“Quero parabenizar a ação da Polícia Civil de Sergipe, através do Dernac e da equipe do delegado André David, que foi até o Rio de Janeiro e prendeu esse grande traficante sem disparar um único tiro. Nem o traficante acreditou”, disse Ibrain. O deputado Luciano Bispo também parabenizou a ação da PC/SE.

 

Iran Barbosa I

O deputado estadual Iran Barbosa (PT) se somou à mobilização dos bancários que estão apelando pela vacinação contra a covid-19. “Quero manifestar o meu apoio e a minha solidariedade e emprestar a representação que temos para somar à luta dos bancários de Sergipe que tentam conseguir a inclusão no Plano Nacional de Imunização. Eles querem ser vacinados contra a covid-19”, explicou o petista.

 

Iran Barbosa II

Em seguida, Iran Barbosa lembrou que vem fazendo este apelo desde o início do pagamento do auxílio emergencial quando houve uma exposição grande de pessoas e um risco grande de infecção. “Esses trabalhadores bancários estão lutando para entrarem nos grupos prioritários”.

 

Audiência em BSB

Iran falou de uma grande mobilização em Sergipe nos últimos dias, com a realização de carreata e outras manifestações. “A paralisação desta terça (8) foi suspensa diante da tratativa da categoria para ser recebida em audiência com o governo federal no próximo dia 15. Quero parabenizar esses trabalhadores pela resistência”.

 

Desocupações I

Iran também falou da assembleia virtual realizada com os movimentos de luta por moradia no campo e na cidade, organizada pelo MST, MOTU, MLB e MTST. “Se discutiu as últimas movimentações, duras e sem cabimento de desocupações, como a que aconteceu aqui perto da Alese”.

 

Desocupações II

O deputado chamou a atenção dos senadores sergipanos para o projeto de lei que tramita no Congresso Nacional suspendendo até o final do ano as ações de despejo e desocupação. Ele citou que existem posicionamentos do CNJ, do TJ/SE e do STF proibindo as desocupações.

 

Georgeo Passos I

O deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) voltou a externar sua preocupação com a estrutura física do Hospital João Alves Filho, em Aracaju. O parlamentar não esconde seu receio com o risco de incêndio, ainda mais após os recentes incidentes registrados nas UPAs Fernando Franco e Nestor Piva, da Prefeitura de Aracaju.

 

Georgeo Passos II

“Vejo no Diário Oficial o pregão 73/2021 homologado pela Secretária de Saúde de uma licitação importante, ainda mais depois do que ocorreu nas UPAs Fernando Franco e Nestor Piva, após aquele incêndio onde morreram pessoas. Nossa preocupação é com a estrutura do maior hospital público do Estado, o João Alves, que agora finaliza o processo de contratação dessa empresa. É sinal que a situação não é tão boa”, alertou o deputado.

 

R$ 5 milhões

A licitação da Saúde é para contratar uma empresa para que esta execute um projeto preventivo de combate e prevenção contra incêndio e pânico no Hospital João Alves Filho. “O Estado vai fazer um investimento de R$ 5 milhões. O ideal é que esse serviço também chegue no Hospital Regional de Itabaiana. Essas unidades de saúde precisam estar preparadas para estes riscos e nós deputados, que somos cobrados pela assistência, temos que nos preocupar com isso também”.

 

Arquivamento

Georgeo falou do pedido de arquivamento de um projeto de lei de sua autoria, de 2016, que não tramitou na Alese. “Tenho feito essa posição com os meus projetos e dos colegas deputados. Infelizmente esse projeto não tramitou e decidi pelo pedido de arquivamento. Ele dispunha sobre a obrigatoriedade, por parte dessas empresas que prestam serviços ao Estado, que seus veículos sejam emplacados em Sergipe. Isso aumentaria a arrecadação. A empresa poderia ser de fora, mas não houve interesse”, lamentou.

 

Polícia Penal

Georgeo fez um apelo para a Mesa Diretora no sentido que o projeto de lei do Executivo sobre a Polícia Penal, criando 150 vagas no sistema prisional, seja colocado em votação na sessão de hoje (9), pleito que foi confirmado pelo presidente da Casa, deputado Luciano Bispo (MDB).

 

Fábio Mitidieri I

A Comissão Especial da Câmara dos Deputados aprovou a proposta de autoria do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) que trata de medicamentos formulados com Cannabis Sativa. O relatório do Projeto de Lei 399/15 foi do deputado Luciano Ducci (PSB-PR) que além dos medicamentos amplia o uso do cânhamo para a utilização científica e industrial.

 

Fábio Mitidieri II

Fábio Mitidieri parabenizou o relator que fez uma proposta maior do que estava previsto no texto original e manteve o fundamento do projeto que é salvar vidas dando dignidade a crianças, a jovens e idosos que precisam do medicamento.

 

Fábio Mitidieri III

“Eu estou nesta luta há seis anos. A batalha vai continuar no plenário, mas, a vitória de hoje é para ser comemorada. Uma vitória pela vida de milhares de pessoas que necessitam dos medicamentos à base de Cannabis Sativa para aliviar suas dores, conter convulsões e dezenas de outras enfermidades. Muito obrigado a todos que nos ajudaram a dar este importante passo em direção a uma legislação moderna, que salva vidas”, afirmou o parlamentar.

 

Para o Senado

Com o cultivo controlado, a expectativa é de que o custo do tratamento e medicamentos tanto para pacientes quanto para o governo seja reduzido. Atualmente alguns medicamentos chegam a custar R$ 3 mil. Aprovada pela comissão especial, a proposta já pode ser enviada diretamente ao Senado. Mas os deputados devem apresentar recurso para levar a análise da matéria ao Plenário da Câmara.

 

Laércio Oliveira

O setor de Serviços é o que mais emprega e também o que mais iria sofrer impacto com os projetos de Reforma Tributária que tramitam no Congresso. “Onerar os consumidores aumentando impostos sobre passagens, mensalidade escolar, segurança, moradia, lazer e diversos outros serviços vai reduzir a demanda e, consequentemente, gerar desemprego”, afirmou Laércio, durante a reunião da Frente Parlamentar dos Serviços.

 

Paulo Guedes I

Mas o ministro da Economia Paulo Guedes deu uma boa notícia para o setor: “Enquanto não for possível essa compensação para comércio e serviços, com a desoneração da folha, vamos tratar de forma diferente esse setor, justamente pela grande capacidade de criar empregos que ele tem”, afirmou.

 

Paulo Guedes II

O ministro afirmou que a ideia inicial era que todos os setores tivessem a mesma alíquota na CBS, que vai unificar os impostos que incidem sobre o consumo. Porém, disse que o tratamento especial está em estudo já que o governo não vai conseguir desonerar a folha de pagamento neste momento. “Estamos considerando a possibilidade de duas alíquotas: uma para comércio e serviços, mais baixa; e outra para a indústria, mais alta”, completou.

 

Paulo Guedes III

Guedes falou que um imposto sobre movimentação financeira substituindo outros impostos como forma de desonerar a folha de pagamento ficará para depois por conta da resistência política e quer fazer a reforma “que é possível” agora. “Não vai ter grande novidade na reforma tributária. É uma reforma moderada. Eu gostaria de fazê-la um pouco mais ampla, inclusive com a desoneração da folha para gerarmos mais empregos. Não é o momento ainda, mas nós não vamos desistir. Vamos fazer gradualmente”, afirmou o ministro.

 

Reforma Tributária

Líder do PP na Câmara, Cacá Leão (BA), que também participou da reunião, disse que a bancada vai defender o setor e o emprego na discussão sobre a reforma tributária. Segundo Cacá Leão, o encaminhamento da reforma tributária será discutida na reunião de líderes convocada pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). A ideia é que a reforma tramite de forma paralela na Câmara e no Senado.

 

Índice de Serviços I

Laércio Oliveira falou ainda que união dos segmentos do setor de serviços permitiu uma atuação de forma consolidada através de grupos de estudo e promoções de ideias em diversos temas como tributação, relações do trabalho, na lei geral de proteção de dados, no fomento e até mesmo na competitividade.

 

Índice de Serviços II

Ele informou também que está sendo lançado o Índice de Serviços, que se trata de uma estrutura de dados econométricos que permitirão demonstrar a realidade do setor de serviços, o mais penalizado na pandemia, mas que sustentou a empregabilidade e renda e que continua sendo o fio condutor da recuperação econômica pós pandemia.

 

Kitty Lima I

A deputada estadual Kitty Lima (Cidadania) fez um alerta sobre o elevado número de vítimas da Covid-19 durante o mês de maio em Sergipe e cobrar providências às autoridades competentes para ações mais ostensivas contra a pandemia. Somente neste período, 817 sergipanos perderam a vida em decorrência do vírus, fazendo com que o mês ficasse conhecido como ‘Maio Letal’.

 

Kitty Lima II

Desde o mês de fevereiro deste ano a pandemia da Covid-19 em Sergipe tem se intensificado de forma muito mais grave e complexa do que o registrado no mesmo período do ano passado, com uma nova cepa do vírus e a explosão de novos casos, gargalo nos internamentos e aumento do número de mortes. De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES), em maio, o mês mais letal da pandemia em Sergipe, 817 sergipanos perderam a vida em decorrência da Covid-19.

 

Kitty Lima III

“Estamos vendo a pandemia se agravar em todos os sentidos e as perguntas que fazemos são, o que o governo tem feito para evitar essas mortes? Qual foi a atitude do governo na assistência à saúde das pessoas que buscam atendimento médico e se deparam com hospitais lotados e sem leitos para internamento de UTI? São perguntas que eu preciso que meus colegas deputados me ajudem a fazer em busca de respostas, já que a atual gestão não tem mostrado um trabalho com resultados positivos", questionou Kitty.

Muitas mortes

Ainda de acordo com os dados da SES, em abril deste ano foram registradas 773 mortes em Sergipe em decorrência da Covid-19, um número que, na opinião da deputada Kitty Lima, "já considerávamos bastante alto e que já vínhamos fazendo uma cobrança para que a gestão adotasse medidas mais eficazes para conter a proliferação do vírus e atendimento aos pacientes, e nada foi feito. Prova disso foi que, no mês seguinte, o índice de mortes cresceu".

 

Faltam leitos

“Ou seja, o número de leitos não acompanhou o número de pacientes que precisavam de internamento. Cadê os hospitais de campanha, cadê os novos leitos para atender a população? No último dia 5, por exemplo, tínhamos 224 leitos de UTI e 74 pessoas aguardando vaga para internamento. Eram 74 famílias desesperadas em conseguir atendimento e, infelizmente, o governo não atuou de forma eficaz para abrir novos leitos e reduzir a fila de espera”, denunciou Kitty.

 

Sheyla Galba I

A vereadora Sheyla Galba (Cidadania) levou à Sessão da Câmara Municipal de Aracaju, a reclamação dos usuários da Unidade Básica de Saúde Max de Carvalho, no bairro Ponto Novo, da superlotação enfrentada no local enquanto aguardam a vacinação. Ainda no discurso, a vereadora também cobrou empenho da Prefeitura de Aracaju para a contratualização da Unidade Materno Infantil do Hospital Universitário. 

 

Sheyla Galba II

Sheyla Galba relatou a visita que realizou, junto com a presidente da Associação Mulheres de Peito, ao Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe – HU/UFS para conhecer a estrutura. “O nome é Unidade Materno Infantil, mas estamos chamando de Centro da Mulher. Teremos lá ginecologia, mastologia, cirurgias de câncer de mama e ginecológica, UTI adulta, pediátrica e neonatal. A expectativa é que sejam feitos mais de 300 partos mensais”, detalhou.

 

Diálogo

A vereadora pediu a união dos parlamentares na busca do diálogo com a Secretaria de Saúde para mostrar a importância da maternidade começar a funcionar. “Para isso, é necessário que seja feita a contratualização do serviço, que vai garantir a convocação dos profissionais aprovados no concurso da Ebserh. A gente sabe que Aracaju contará com uma maternidade municipal, no bairro 17 de Março, só que não vai comportar a demanda”, salientou. 

 

R$ 20 milhões

A parlamentar ressaltou ainda a necessidade de cerca de R$ 20 milhões para equipar a unidade. “Precisamos de leitos de UTI e temos uma maternidade pronta. Por isso estou fazendo uma força-tarefa para conversar com os parlamentares federais para que viabilizem estes recursos. Caberá ao Município apenas contratualizar o serviço”, enfatizou.

 

Lotação em UBS

Ao falar sobre os vídeos recebidos no último final de semana que mostrando a superlotação na Unidade de Saúde Max de Carvalho, Sheyla Galba reforçou a necessidade de estruturar melhor as unidades. “A gente vem falando diariamente a respeito da necessidade da colocação de toldos nas UBS para acolher melhor a população que busca atendimento, em sua maioria idosos. É inadmissível que os cidadãos enfrentem esta falta de organização, que causa aglomerações, enquanto estamos com as UTIs lotadas”, frisou.

 

Ricardo Marques I

Depois de visitar a Avenida Augusto Franco, em Aracaju, para verificar os reparos feitos na ciclovia, o vereador Ricardo Marques (Cidadania) usou do Pequeno Expediente da Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Aracaju para questionar a qualidade dos reparos feitos pela prefeitura.

 

Ricardo Marques II

Para o parlamentar é inadmissível ver um reparo com má qualidade dentro de uma obra que está custando um valor total de quase R$ 14 milhões aos cofres públicos. “Estive lá no mês passado, mostrei o problema dos buracos que existiam na ciclovia, acionei os órgãos responsáveis da prefeitura e eles fizeram o reparo, mas, infelizmente, o serviço foi mal feito, não condiz com o valor que está sendo pago ali e com o que o aracajuano merece”, repudiou.

 

Obras lentas

O vereador questionou ainda o ritmo do andamento das obras realizadas em Aracaju. “Por que as nossas obras não são concluídas no tempo programado? Por que muitas delas sequer começaram e já passaram do tempo de serem concluídas? Por que muitas obras são iniciadas com um valor e com o tempo são feitos tantos aditivos? Esta obra da avenida Augusto Franco, por exemplo, iniciou com um custo total de R$ 9 milhões e já foram feitos 11 aditivos, o valor total da obra está em quase R$ 14 milhões”, afirmou.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com




Tópicos Recentes