AUTO E CIA

19/02/2021 as 16:00

'Vandalismo', diz Setransp sobre a paralisação de rodoviários

O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Aracaju (Sinttra) confirmou a greve ontem justificando corte de benefícios como ticket alimentação, assistência médica, entre outros.

Reprodução (Internet/Destaque Noticias)<?php echo $paginatitulo ?>

A frota de ônibus coletivo paralisou na manhã desta sexta-feira, 19, na capital sergipana. O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Aracaju (Sinttra) confirmou a greve ontem justificando corte de benefícios como ticket alimentação, assistência médica, entre outros.

 

De acordo com o diretor do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Município de Aracaju (Setransp), Alberto Almeida, não houve perda de privilégios. 

 

"Esses benefícios existiam na comissão de 2018, 2019 e 2020. Foi cessado no ano passado, no dia 28 fevereiro de 2020. A convenção coletiva do setor de transporte preservou a assistência médica e até esse momento não há nenhum direito retirado do trabalhador. As cláusulas se eliminam no momento em que a convenção termina. É equivocada a informação de que os trabalhadores tinham direito ativo e foram perdendo", afirmou.

 

O diretor considerou ainda, a paralisação como um ato criminoso e já está em processo de judicialização. "Estamos preparando uma ação para ingressar ainda hoje no judiciário para tentar responsabilizar as pessoas que fizeram essa barbárie, pois é um ato que gera prejuízo ao patrimônio e à população. Cabe uma ação penal, é crime", disse.

 

Com as válvulas que sustentam o ar no pneu arrancadas, os chamados pitos, os ônibus ficaram parados em torno do Terminal do Centro, Terminal do Mercado, Avenida Barão de Maruim e Beira-Mar. Segundo Alberto, os sindicatos já entraram em negociação.

 

“Estamos em negociação, mas o Sindicato têm consciência e nós também de que estamos na batalha de preservar postos de trabalho. Diferente do Brasil todo, o sistema de transporte de Aracaju conseguiu preservar a maioria dos funcionários. Fizemos mudanças de função, transferências, os postos de trabalho foram preservados e eu vejo esse esforço sem ser considerado. Foi uma batalha vencida pelo Setransp junto com o Sinttra. Infelizmente acho que, hoje, o Sinttra foi pelo caminho errado. É mais um dia com a redução de passageiros", concluiu.




Tópicos Recentes